A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

28/11/2013 18:12

Capital não tinha condições de contratar 21 Ceinfs de uma só vez, diz Semy

Zemil Rocha e Kleber Clajus
Semy participou hoje de audiência da Comissão de Obras da Câmara (Foto: Kleber Clajus)Semy participou hoje de audiência da Comissão de Obras da Câmara (Foto: Kleber Clajus)

O secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação, Semy Ferraz, fez duras críticas nesta quinta-feira (28), durante depoimento à Comissão de Obras da Câmara de Campo Grande, ao fato de a administração passada ter feito a contratação para construção de 21 Centros de Educação Infantil (Ceinf). “O que aconteceu foi falha técnica ou decisão política do governo anterior que não tinha recurso para dar contrapartida para 21 Ceinfs de uma vez”, acusou Semy. “Teria que diminuir o número”, acrescentou.

No procedimento existente até agora, segundo Semy, o governo federal repassava só R$ 1, 3 milhão para a obra de cada Ceinf e o município, para concluir, tinha de investir mais R$ 1,1 milhão. “Só que na proposta dos 21 Ceinfs, a contrapartida era de apenas R$ 800 mil”, revelou.

A paralisação das obras ou não conclusão delas, conforme o secretário, decorre do número exagerado de Ceinfs programados pela gestão anterior ou do baixo valor da contrapartida reservada. “Hoje falta contra-piso, vidro, transformadores, tudo por causa da decisão de construir mais Ceinfs do que a capacidade financeira de bancar”, denunciou.

Semy admite que atualmente a grande dificuldade na área de obras é com relação ao Ceinfs. “É que algumas das áreas de construção estão invadidas, em outras a empresa que executa serviço não deu conta e para cancelar contrato leva quase um ano e ainda tem os problemas de empenho orçamentário”, disse.

Durante seu depoimento, ao ser questionado pelo morador Alexandre Oliveira sobre a paralisação da obra do Ceinf da Vila Nogueira, que também atenderia os bairros São Conrado e Santa Emília, o secretário declarou: “Acho que houve erro na escolha do local. Corre-se risco de perder dinheiro para esse Ceinf”.

Novo procedimento – O secretário Semy Ferraz disse hoje que as próximas contratações para obras de Ceinfs terão procedimento menos oneroso para a administração municipal. “Através do Pró-Infância, que está adotando método novo, o governo federal vai liberar R$ 1,65 milhão para cada Ceinf e a prefeitura só fica responsável pela urbanização do entorno”, explicou.

Nesse caso serão nove intervenções para serem atendidos os bairros Oscar Salazar, Jardim Seminário, Moreninha II, Portal Panamá, Residencial Nelson Trad, Jardim Nashivellle, Serraville, Jardim Colorado e Bosque Santa Mônica.

 

 



É o caso por exemplo da escola e ceinf do Varandas do Campo. A obra deveria ser feita pela HOMEX, aquela que esta com problema e a CEF esta tentando assumir as obras. Viram só que não é só o BERNAL que erra.
 
Renata Silva em 28/11/2013 19:46:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions