A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

25/04/2015 12:04

Com 4 pré-candidatos, petistas admitem erros e defendem humildade

Lidiane Kober
Pedro Kemp e Ricardo Ayache são dois nomes cotados para concorrer a prefeito da Capital (Foto: Fernando Antunes)Pedro Kemp e Ricardo Ayache são dois nomes cotados para concorrer a prefeito da Capital (Foto: Fernando Antunes)
Para Zeca, o PT precisa ter humildade e reconhecer que errou na Petrobras (Foto: Fernando Antunes)Para Zeca, o PT precisa ter humildade e reconhecer que errou na Petrobras (Foto: Fernando Antunes)

Com quatro pré-candidatos a prefeito de Campo Grande, líderes petistas admitiram erros e defenderam humildade para reconhecer os tropeços e reconstruir a história do partido. Em encontro na Capital, neste sábado (25), o discurso se concentrou em zerar o escândalo da Petrobras, superar a crise e não repetir políticas de aliança com partidos rivais.

O deputado federal Zeca do PT foi enfático ao defender “humildade”. Para ele, a sigla errou feio ao repetir conceitos de rivais, como aceitar dinheiro de empresas parceiras. “O PT sempre falou em ética, mas cometeu o mesmo erro ao aceitar doações de campanha de empresas com serviço prestado para o Governo Federal”, comentou. “Agora, é preciso ter humildade para reconhecer o erro”, completou.

Da mesma forma avaliaram o deputado estadual Pedro Kemp (PT) e o presidente da Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul), Ricardo Ayache. Os dois concordam que o PT errou na Petrobras e precisa ser humildade para reconhecer o tropeço.

Ao mesmo tempo, os petistas querem a reaproximação dos movimentos sociais, abraçado à militância e longe de partidos rivais. “O PT perdeu por ficar de namoro com PMDB e PSDB nas eleições do ano passado”, avaliou Zeca. Para ele, o partido jamais deveria ter cogitado aliança do senador Delcídio do Amaral (PT) com os tucanos e deveria ter adotado um discurso contra a então gestão do governador André Puccinelli (PMDB).

Kemp engrossou o discurso e inclui rejeição à aliança com o PR. “O Londres Machado no cargo de vice-governador confrontou à imagem de Delcídio, ele representa a política tradicional, enquanto o Delcídio significa o novo, isso não combinou”, analisou.

Neste sentido, segundo as lideranças, repensar esses conceitos são preceitos indispensáveis para o PT chegar com força nas eleições de 2016.

Na Capital, por exemplo, o partido promete manter a tradição e lançar candidato próprio. Por enquanto, estão na lista de possíveis representantes Pedro Kemp, Ricardo Ayache, a vereadora Thais Helena e o também deputado estadual Amarildo Cruz.

Os nomes foram elencados por Zeca. Kemp e Ayache acham cedo para escolher o candidato, mas garantiram estar à disposição do PT para entrar na corrida eleitoral. "Primeiro precisamos reorganizar o partido para escolher os nomes", explicou Kemp. 

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


O PT, está praticamente aniquilado em MS, se quiserem disputar a prefeitura da capital com alguma chance de ganhar só tem um nome, o do senador Delcidio, qualquer outro nome corre o risco de não ir além do primeiro turno. Na realidade o PT perdeu sua credibilidade junto aos sul mato-grossenses.
 
juvenil marques do vale em 25/04/2015 13:32:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions