A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

01/07/2015 08:23

Com 4 votos contra da bancada de MS, Câmara rejeita redução da maioridade

Antonio Marques
Luis Macedo/Câmara dos DeputadosLuis Macedo/Câmara dos Deputados

Com o resultado final, a bancada de Mato Grosso do Sul na Câmara dos Deputados se mostrou dividida na votação que rejeitou, na madrugada desta quarta-feira (1º), o texto da comissão especial para a PEC que reduz a maioridade penal (PEC 171/93). Foram quatro votos contra, três a favor, e a ausência do deputado Zeca do PT. No geral, foram 303 votos a favor, quando o mínimo necessário eram 308. Foram 184 votos contra e 3 abstenções.

Na segunda-feira, 29, o Campo Grande News ouviu as posições dos deputados e na ocasião se declararam favoráveis a redução da maioridade Luiz Henrique Mandetta (DEM), Carlos Marun (PMDB) e Elizeu Dionísio (SD), mas cada um apontou um motivo específico e a condição dos crimes serem hediondos ou de natureza violenta. Já Zeca do PT, Vander Loubet (PT) e Dagoberto Nogueira (PDT) e Geraldo Resende (PMDB) disseram ser contra a mudança, pois não resolveria o problema. Tereza Cristina (PSB) disse que ainda não havia definido o voto e teria uma reunião no partido ontem.

Entretanto, na votação desta madrugada ocorreram algumas mudanças. Zeca do PT, que garantiu que votaria contra, não viajou a Brasília, por estar de licença médica por conta de duas cirurgias nas pernas. Os deputados que declararam ser contra a PEC Vander Loubet e Dagoberto foram seguidos pelos votos de Mandetta, que contrariou a orientação do seu partido, e da deputada Tereza Cristina, que seguiu o voto do PSB.

Votaram a favor da redução da maioridade penal, os deputados Elizeu Dionísio, Carlos Marun e Geraldo Resende. Este havia declarado, na segunda-feira, que votaria contra, mas votou com o PMDB, que orientou o voto em favor da PEC.

Geraldo Resende havia justificado, na segunda-feira, que a melhor solução seria aumentar de três para oito de internação para crimes hediondos, sem precisar reduzir a maioridade penal. “Diminuir pura e simplesmente pode fazer com que os transformemos em criminosos ainda mais cruéis e a sociedade pagar um alto preço com esta medida”. Agora de manhã não conseguimos contato com o deputado para explicar a mudança.

Para o presidente da Câmara Eduardo Cunha, a discussão, no entanto, ainda não se encerrou. Ele lembrou que o Plenário ainda tem de votar o texto original da proposta ou outras emendas que tramitam em conjunto. “Eu sou obrigado a votar a PEC original para concluir a votação ou o que os partidos apresentarem. No curso da votação, poderão ser apresentadas várias emendas aglutinativas. A votação ainda está muito longe de acabar, foi uma etapa dela”, disse Cunha.

Ainda não há data para a retomada da discussão. Eduardo Cunha disse que a proposta poderá voltar à pauta na semana que vem ou, se isso não for possível, no segundo semestre. Antes do recesso, o Plenário ainda precisa votar o segundo turno da PEC da Reforma Política.

A proposta rejeitada reduziria de 18 para 16 anos a maioridade penal para crimes hediondos, como estupro, latrocínio e homicídio qualificado (quando há agravantes). O adolescente dessa faixa etária também poderia ser condenado por crimes de lesão corporal grave ou lesão corporal seguida de morte e roubo agravado (quando há uso de arma ou participação de dois ou mais criminosos, entre outras circunstâncias). O texto original, que pode ir à votação, reduz a maioridade para 16 em todos os casos.



Ih,Jéssica Machado Gonçalves...essa ladainha, esse blábláblá não cola mais!
 
Barbarossa em 01/07/2015 16:49:42
Parabéns Jorcelino Rosa. Nota dez!
 
henrique luiz mayer nunes em 01/07/2015 16:48:14
A verdade é que o Luiz Henrique Mandetta e a Tereza Cristina traíram seus eleitores.
Nas próximas eleições ficarão marcados como "traíras". Que peçam votos aos "di menores" bandidos ! Eleição e dor de barriga não dá só uma vez. O troco virá. Aguardem...
 
henrique luiz mayer nunes em 01/07/2015 16:46:55
Somos desinformados mesmo Jessica.
O choro realmente é livre
A educação sofreu corte de 9 milhões. O desinvestimento é esse - kkkkkkkkk
A sua informação do investimento é qual?
O choro é real. Prometer algo que não se concretiza, não se concretizou faz tempo, nem nesse nem em outros governos é realmente ser desinformado.
Se houvesse investimento e interesse isso não seria questionado.
Obrigado por nos informar
 
Adriano Magalhães em 01/07/2015 15:56:34
Vou esperar sentado mais escolas e valorização de professores e etc e todo o blábláblá que falam a tempos mas nada é feito ou investido.
Dão uma desculpa de algo que nunca fizeram ou sequer tem projetos para impedir punição de uma minoria de criminosos que sabe muito bem o que faz aos 16 aos 15.
 
Adriano em 01/07/2015 15:42:37
DESINFORMADOS: O CHORO É LIVRE!
 
JESSICA MACHADO GONÇALVES em 01/07/2015 14:53:27
FAÇO AQUI UM PEDIDO: ALGUEM DOS QUE SÃO CONTRA, QUER SEJAM NOSSOS POLITICOS DA BANCADA DO MS QUE FORAM CONTRA OU QUALQUER OUTRO CIDADÃO PODERIA PELO AMOR DE DEUS ADOTAREM QUALQUER UM DOS ABAIXO E DAR A ELES UMA EDUCAÇÃO ADEQUADA, POSSIBILIDADES, OPORTUNIDADES, etc...etc ?? MANIACO DA CRUZ, IRMÃOS CRAVINHOS, MENORES .... SEM NOMES (OS ESTUPRADORES DO PIAUI ). Quem se interessar em levá-los pra suas casas e dar a eles todas as OPORTUNIDADES DO MUNDO irei pessoalmente ao FORUM, MINISTÉRIO PÚBLICO, CAMARA OU SENADO FEDERAL ou onde quer que seja e pedir imediatamente a soltura destes menores delinquentes e levarei pessoalmente às suas residência. P.S.: Ainda contribuo mensalmente com camisinhas para que suas filhas não corram nenhum risco desnecessário.
 
Jorcelino Rosa em 01/07/2015 12:16:42
o que deveria ser mudado mesmo e o estatuto da criança, que protege muito o menor, eu tenho 32 anos comecei a trabalhar com 12 para fora, e agradeço minha mae todo dia por me criar em redeas curta, e não como esta hj, nao pode apanhar se fazer coisa errada porque a lei acoberta, mas virar bandido pode
 
ROSANGELA em 01/07/2015 10:51:37
Acredito que o povo que deve votar agora, qualquer menor infrator que cometer crime grave ou hediondo, deve ser enviado para internação na casa dos nossos representantes (caros deputados), eles representam o povo e não votam de acordo com a vontade do povo, sendo assim, nada mais justo!!!
 
Joao em 01/07/2015 10:07:23
PARABÉNS AOS DEPUTADOS QUE FORAM CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL! Mais escolas e valorização dos professores, menos presídios!
Elizeu Dionísio, Carlos Marun e Geraldo Resende, vocês votaram pela criminalização dos menores pobres e negros! Vocês votaram também a favor da terceirização, ou seja, contra os trabalhadores!!
Saibam que essas ações tomadas por vocês pesarão na hora do voto vindouro: saibam disso!
 
JESSICA MACHADO GONÇALVES em 01/07/2015 08:59:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions