A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

02/04/2014 18:08

Com trajetória política similar à do pai, Simone Tebet tenta agora o Senado

Josemil Arruda
Simone Tebet vai ser companheira de chapa de Nelsinho Trad (Foto: arquivo)Simone Tebet vai ser companheira de chapa de Nelsinho Trad (Foto: arquivo)

A vice-governadora Simone Tebet (PMDB), de 44 anos, vai se candidatar ao Senado Federal tendo na bagagem uma trajetória política de sucessivas vitórias eleitorais e aumento de popularidade, desde que foi eleita deputada estadual em 2002. Antes de ser vice de André Puccinelli, que decidiu hoje continuar no cargo até o final do mandato, Simone tinha sido prefeita de Três Lagoas, onde conseguiu se destacar pelos avanços conquistados para o município.

Filha de Ramez Tebet, que foi senador e chegou a presidir o Congresso Nacional, tendo falecido em 2006, a advogada e professora Simone Tebet deve suas últimas vitórias políticas e eleitorais a Três Lagoas e região. Ela integra uma tradicional família árabe-brasileira de Três Lagoas e sua trajetória política tem sido semelhante à do pai, que também foi prefeito de Três Lagoas, deputado estadual e vice-governador do Estado.

Formada em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Simone Tebet é especialista em Ciência do Direito pela Escola Superior de Magistratura, mestra em Direito do Estado, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), e doutoranda em Direito Constitucional.

Antes de iniciar sua carreira política, Simone foi consultora técnica jurídica da Assembléia Legislativa do Mato Grosso do Sul entre os anos de 1995 e 1997 e foi diretora técnica legislativa entre 1997 e 2001.

Simone nunca escondeu que em sua primeira disputa eleitoral, o peso do nome “Tebet”, de seu pai, foi fundamental. Com 25.250 votos, ela foi eleita deputada estadual no ano de 2002 e dois anos depois conquistou a Prefeitura de Três Lagoas, tendo sido a primeira mulher a comandar o Executivo municipal da cidade. O bom desempenho lhe garantiu a reeleição em 2008, mas na eleição seguinte, em 2002, renunciou ao mandato para ser candidata a vice-governadora na chapa encabeçada por André Puccinelli, que venceu já no primeiro turno com 56% dos votos válidos o ex-governador Zeca do PT, que obteve 42,50%, e Nei Braga, que terminou com 1,51%.

Até o final do ano passado, Simone cumpria apenas as funções de vice-governadora, assumindo eventualmente o governo do Estado nas viagens de Puccinelli ao exterior e também nas férias do titular. Em outubro do ano passado, diante da disputa com o ex-prefeito Nelsinho Trad pela indicação do PMDB para disputar o governo do Estado em 2014, ela passou a integrar o primeiro escalão do governo, na condição de chefe da Casa Civil, cargo do qual deve se desincompatibilizar até amanhã para ser candidata a senadora.

 

 

Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...
Senado aprova R$ 1,9 bi a estados para compensar desoneração de exportações
Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o obj...
Temer discutirá data de votação da reforma da Previdência nesta quinta
O anúncio do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que a votação da proposta de reforma da Previdência ficará para fevereiro causou r...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions