A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 24 de Agosto de 2017

18/12/2014 10:06

Corregedor aparece, preside sessão e TCE anula aposentadoria polêmica

Edivaldo Bitencourt
Conselheiros do TCE fazem reunião reservada para anular aposentadoria (Foto: Divulgação)Conselheiros do TCE fazem reunião reservada para anular aposentadoria (Foto: Divulgação)

Desaparecido há dias, o conselheiro Ronaldo Chadid, corregedor do TCE (Tribunal de Contas do Estado), apareceu nesta quinta-feira (18) e presidiu uma sessão secreta, que anulou a polêmica aposentadoria do conselheiro José Ricardo Pereira Cabral. Imediatamente, a corte fiscal informou do ato ao governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), e ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Jerson Domingos (PMDB).

Ao informar da anulação da aposentadoria, concedida pelo próprio José Ricardo, enquanto presidente do TCE, os conselheiros tentam suspender a aprovação da indicação do deputado estadual Antonio Carlos Arroyo (PR) para a vaga de conselheiro.

Ontem, a indicação foi suspensa após o deputado estadual Lídio Lopes (PEN), que é funcionário do TCE, pedir vista na sessão e sumir da Assembleia com o projeto da indicação de Arroyo.

Com a estratégia, os conselheiros aprovaram a anulação da aposentadoria antes do projeto ser votado pelos deputados estaduais. A briga é grande pela indicação do novo conselheiro do Tribunal de Contas.

Além de Chadid, a sessão reservada de hoje contou coma presença dos conselheiros Iran Coelho, Waldir Neves e Marisa Serrano. Os outros dois conselheiros, Jerson Domingos e Osmar Jeronymo ainda não foram empossados. A sessão ainda contou com a participação do auditor conselheiro-substituto, Leandro Lobo e do procurador-geral de Contas, José Aedo Camilo.

A aposentadoria foi anulada porque o processo estava concluso para Ronaldo Chadid, que estava em viagem e chegou a ser alvo de um ofício do procurador-geral do Estado, Rafael Coldibelli Francisco, no qual cobrava o motivo da ausência do conselheiro. José Ricardo solicitou a aposentadoria no dia 25 de novembro e só deu continuidade ao processo após pressão dos deputados estaduais.

“De acordo com a decisão do Pleno o processo TC 16343/2014, referente à aposentadoria do conselheiro José Ricardo Pereira Cabral, ainda se encontra em trâmite perante o Tribunal, pendente de decisão o que impossibilita sua consumação e envio ao Executivo pelo próprio interessado na demanda.A Ata da sessão será publicada no Diário Oficial Eletrônico do TCE-MS”, destaca o órgão, em nota à imprensa.

Os conselheiros argumentam que o “inciso II do artigo II da Lei Complementar nº. 160/2012” dá competência ao corregedor-geral, como substituto legal do presidente, dar continuidade às questões administrativas. A sessão secreta de hoje foi convocada em regime de urgência.

Com a decisão, os deputados estaduais podem aprovar a indicação de Arroyo porque a decisão do TCE não foi publicada no Diário Oficial.




Vocês deveriam escrever as notícias com mais cuidado... Por exemplo: "Desaparecido há dias, o conselheiro Ronaldo Chadid, corregedor do TCE...", vocês se deram ao trabalho de pesquisar por que ele estava "desaparecido"? Porque do jeito que vocês escreveram fica parecendo que ninguém no TCE sabia onde ele estava...
"...após o deputado estadual Lídio Lopes (PEN), que é funcionário do TCE, pedir vista na sessão e sumir da Assembleia com o projeto da indicação de Arroyo.", sumir? como assim sumir? o que significa sumir? ele pegou o projeto e desapareceu no ar com uma kimuridama? ele saiu correndo e sumiu na escuridão?
Tem como levar a sério texto assim...?
 
JoaoSilva em 18/12/2014 14:48:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions