ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 19º

Política

"De férias", bancada federal de MS gastou quase R$ 175 mil

Deputados federais e senadores usaram recursos do mandato para comprar desde pó de café a custear marketing

Por Gabriela Couto | 01/02/2024 15:25
Fachada do prédio do Congresso Nacional, onde estão a Câmara dos Deputados e o Senado, em Brasília (DF) (Foto: Divulgação)
Fachada do prédio do Congresso Nacional, onde estão a Câmara dos Deputados e o Senado, em Brasília (DF) (Foto: Divulgação)

Apesar de estarem em recesso parlamentar e só retomarem os trabalhos no Congresso Nacional na próxima semana, deputados federais e senadores de Mato Grosso do Sul custaram para os cofres públicos em janeiro R$ 174.840,63. Os dados foram retirados dos portais das transparências das duas casas legislativas.

O valor representa a soma dos gastos das cotas de exercício parlamentar. Sendo que os senadores usaram R$ 26.774,1 e os deputados R$ 148.066,53. A média para manter os 11 representantes sul-mato-grossenses da bancada federal foi de R$ 15.894,60 para cada um.

No Senado, quem mais esbanjou recursos públicos foi a senadora Tereza Cristina (PP). A ex-ministra da Agricultura gastou R$ 13.785,01, conforme a prestação de contas do primeiro mês deste ano. Destaque para o gasto de R$ 6.889,02 somente com os Correios. Na nota fiscal estão declarados os envios de 116 PACs (Postagens de Encomendas Digitais).

Senadora Tereza Cristina gastou quase R$ 7 mil para enviar cartas pelos Correios (Foto: Roque de Sá/Agência Senado)
Senadora Tereza Cristina gastou quase R$ 7 mil para enviar cartas pelos Correios (Foto: Roque de Sá/Agência Senado)

Em segundo lugar ficou Nelsinho Trad (PSD), que usou R$ 12.778,27 para o mandato durante janeiro. Os maiores custos foram com passagens aéreas (R$ 5.720,84) e aluguel de imóvel para escritório político (R$ 4.305,20).

Já Soraya Thronicke (Podemos) foi a mais econômica de toda a bancada. De acordo com a prestação de contas de janeiro, a senadora usou apenas R$ 210,82. O montante é a soma de R$ 14,94 para os Correios e R$ 195,88 com compra de material para o escritório, como pó de café, açúcar, adoçante, detergente e demais produtos de limpeza.

Dentre os deputados federais, Camila Jara (PT) foi a campeã de gastos. Nos 31 primeiros dias do ano, a petista usou R$ 34.921,01 da cota parlamentar. Desse montante, R$ 2.401,01 foram para compra de combustíveis e R$ 32.520 para a divulgação das atividades do mandato.

Camila Jara (PT) foi a representante de MS da bancada federal que mais gastou em 2024 entre os 11 eleitos desta legislatura (Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)
Camila Jara (PT) foi a representante de MS da bancada federal que mais gastou em 2024 entre os 11 eleitos desta legislatura (Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)

O valor é dividido em R$ 19 mil para Everson Viana Tavares Studio Fotográfico desenvolver e implementar estratégias de comunicação e R$ 13.520 para Leonardo Petiz Silva Miranda imprimir panfletos, cartazes e cartilhas da pré-candidata a prefeita de Campo Grande.

O deputado mais votado da legislatura, Marcos Pollon (PL) foi o segundo que mais esbanjou recursos públicos neste início de 2024. No mês de janeiro, o advogado usou R$ 29.908,50. O valor é a soma de R$ 3.250 para manutenção do escritório, R$ 658,50 para combustíveis e R$ 26 mil para divulgação da atividade parlamentar. Vale lembrar que Pollon também está na cota de possíveis pré-candidatos da extrema-direita para a Capital.

Dagoberto Nogueira (PSDB) é o terceiro que mais gastou recursos da cota parlamentar. No mês passado, foram desembolsados R$ 18.950 para locação de veículos (R$ 11.950) e divulgação das atividades (R$ 7 mil).

Ficaram na média de gastos os demais deputados, como Vander Loubet (PT) que usou R$ 17.791,52 em janeiro; Dr Luiz Ovando (PP) gastou R$ 14.917,91; Geraldo Resende (PSDB) utilizou R$ 12.938,54 e Rodolfo Nogueira (PL) declarou R$ 11.517,32.

Veja a relação de deputados federais e os gastos:

Reprodução da tabela de gastos do portal da transparência da Câmara dos Deputados com o nome e gastos dos oito representantes de MS (Foto: Reprodução)
Reprodução da tabela de gastos do portal da transparência da Câmara dos Deputados com o nome e gastos dos oito representantes de MS (Foto: Reprodução)

O deputado federal mais econômico dos oito que representam o Estado em Brasília (DF) foi Beto Pereira (PSDB), que registrou R$ 7.121,73 de custos durante o primeiro mês do ano.

O valor representa R$ 212,01 para manter o escritório, R$ 1.409,72 para telefonia e R$ 5,5 mil para divulgação da atividade parlamentar. Este último valor foi utilizado para pagar Karine Bezerra Viana fazer capitação de imagens do parlamentar. O tucano também é pré-candidato a prefeito de Campo Grande.

Conforme os dados da transparência da Câmara dos Deputados, só neste início de 2024 todos os deputados usaram R$ 4.305.578,09 da cota parlamentar. A maior parte dos recursos, R$ 1.807.711,51 (41,98%), serviu para divulgar as ações do mandato.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas  redes sociais.

Nos siga no Google Notícias