ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  21    CAMPO GRANDE 22º

Política

Delcídio afirma que “ônibus está vazio” e faz elogios a André e Simone

Por Lidiane Kober | 09/12/2013 17:03
Delcídio disse que está "acostumado a fazer política" com André e Simone (Foto: Cleber Gellio)
Delcídio disse que está "acostumado a fazer política" com André e Simone (Foto: Cleber Gellio)

Pré-candidato do PT ao Governo do Estado, o senador Delcídio do Amaral disse, nesta segunda-feira (9), que ainda não tem nenhum aliado confirmado para a disputa de 2014 e, apesar da aproximação com o PSDB, elogiou o governador André Puccinelli (PMDB) e a vice Simone Tebet (PMDB) e não descartou aliança com o PMDB. “Meu ônibus está vazio” afirmou, fazendo menção ao arco de aliança.

Para Delcídio, “ainda tem muito tempo pela frente” e dá não para bater o martelo em torno da coligação do PT na sucessão estadual. Ele, no entanto, vem revelando sintonia com o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB), mas, hoje, não descartou união com o PMDB e até admitiu bom relacionamento com alguns líderes do partido.

“Nunca neguei que mantenho uma relação positiva e pró-ativa com o governador e com a Simone também. Fui vizinho de gabinete do senador Ramez Tebet e, naturalmente, isso me aproximou da Simone”, comentou Delcídio. “São pessoas que estou acostumado a fazer política”, completou.

O bom relacionamento com André, inclusive, já foi alvo de críticas por parte de petistas. Nas eleições de 2010, por exemplo, alguns correligionários acusaram Delcídio de fazer “dobradinha” com o candidato ao Senado do governador, o então deputado federal Waldemir Moka (PMDB). No final das contas, Moka se elegeu e o companheiro de chapa do petista, Dagoberto Nogueira (PDT), ficou de fora.

Panos quentes - Delcídio, porém, frisou que o PMDB também tem pré-candidato ao governo e que, por isso, está trabalhando para seguir outro rumo. “Respeito a decisão do partido”, declarou. Pouco antes, ele colocou panos quentes para abafar declaração do vereador Zeca do PT contra Azambuja.

O vereador ameaçou retirar o apoio à aliança de PT com PSDB, caso o deputado fosse ao Leilão da Resistência no sábado (7). “Isso é uma posição pessoal do Zeca e o projeto para 2014 é mais amplo, uma questão pontual não vai atrapalhar”, avaliou.

Indagado se as posições antagônicas de petistas e tucanos, por exemplo, sobre a questão indígena, podem afastar os partidos e causar desgaste entre os eleitores, Delcídio ponderou que “todo projeto tem as suas contradições”. “O nosso desafio é lidar com ideias divergentes e tirar o melhor de cada uma”, acrescentou.

Bernal – Sobre o apoio declarado pelo prefeito Alcides Bernal (PP), o senador frisou não ter como negá-lo até “porque meu ônibus está vazio”. Delcídio, entretanto, acredita chegar em junho de 2014 com “todos os bancos do ônibus preenchidos” para realizar “uma viagem confortável”.

Nos siga no Google Notícias