A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

16/09/2016 09:53

Délia cita experiência como interina e pede “cultura do amor” pela cidade

Candidata do PR à prefeitura rebateu crítica de adversários e garantiu que seu marido, ex-deputado estadual, não vai interferir na administração se ela vencer eleição dia 2 de outubro

Helio de Freitas, de Dourados
Délia Razuk é candidata à prefeita pelo PR (Foto: Divulgação)Délia Razuk é candidata à prefeita pelo PR (Foto: Divulgação)

A vereadora Délia Razuk (PR) cita o período de 120 dias de prefeita interina, em 2010, para comprovar a experiência que tem como gestora pública ao pedir o voto dos douradenses nesta campanha eleitoral.

Em entrevista ao Campo Grande News, ela citou várias vezes as ações que desenvolveu nos quatro meses que ficou na prefeitura após a prisão e renúncia do então prefeito Ari Artuzi (morto em 2013). Délia assumiu como prefeita interina porque era presidente da Câmara de Vereadores na época.

Liderando a corrida sucessória com 40,65% das intenções de voto, segundo pesquisa Fiems/Ipems divulgada quarta (14), Délia Razuk prega uma “cultura de amor” pela cidade e rebate críticas de seus adversários, de que a cidade seria comandada pelo marido de Délia, o ex-deputado Roberto Razuk, se ela for eleita.

“Tenho no meu marido um importante aliado, uma pessoa com experiência, que foi um grande político de Mato Grosso do Sul, importante para Dourados. No entanto, o Roberto não interfere nas minhas decisões. É assim no meu mandato de vereadora, foi assim quando fui prefeita interina. Tenho independência para administrar esta cidade e quem trabalhou comigo na prefeitura sabe da minha competência”, rebateu.

Pode fazer mais – “Quero o bem desta cidade que me acolheu há tantos anos. Amo Dourados e quero cuidar bem dela. Fizemos muitas ações por Dourados, aprovadas pela população. Em quatro anos, poderemos fazer muito mais. Me considero preparada para administrar a cidade. Já conhecia os bairros e administrar Dourados por 120 dias me fez conhecer a máquina administrativa”, disse a candidata.

Quando responde sobre a saúde e a ausência de recursos em todo o país para financiar o atendimento público, mais uma vez Délia cita ações do período de interinidade para demonstrar suas ideias para o setor.

“Dei ordem de serviço para a construção da UPA 24 horas e para a construção do PAI [Pronto Atendimento Infantil]. Desenvolvemos campanha de prevenção à dengue que deixou Dourados livre da epidemia no ano seguinte, determinamos mutirões de cirurgias de ginecologia e obstetrícia, atendendo cerca de 200 mulheres que aguardavam na fila por quase três anos. Agilizamos a documentação para entregar 17 veículos da saúde que estavam parados por falta de documentação. A escassez de recursos atinge todos os municípios, mas temos que elencar prioridades”, citou a candidata.

Cultura do amor – Ao responder sobre a infraestrutura, Délia Razuk defendeu que a população abrace a cidade e ame o patrimônio público: “A infraestrutura precisa ser pensada a longo prazo, não é obra de um prefeito, de um deputado. É obra para a cidade, que cresce e já tem quase 220 mil habitantes. Precisamos implantar a cultura do amor pela cidade”.

Délia citou três documentos que pretende usar para embasar seus projetos voltados à infraestrutura: plano diretor, lei ambiental e lei de uso e ocupação do solo.

“Mas também temos de cuidar do que temos. As praças, os parques, as estruturas. Uma das ideias é rever a forma como se constrói asfalto. Gasta-se tanto com tapa-buraco. Se tivermos asfalto com qualidade, essas obras vão diminuir, teremos mais economia”, disse a candidata do PR.

Ciclovia - A vereadora também pretende ampliar as ciclovias, interligando os bairros, para facilitar o acesso e dar mais segurança aos trabalhadores.

Também citou a necessidade de revitalizar as principais avenidas da cidade – Marcelino Pires, Weimar Gonçalves Torres, Joaquim Teixeira Alves e Hayel Bon Faker – já incluídas no pacote de investimentos anunciado sábado (10) pelo governador Reinaldo Azambuja.

Ao falar de habitação, Délia voltou a citar o período de interinidade: “Em quatro meses de trabalho eu firmei com a Caixa Econômica Federal convênio de R$ 8 milhões para a segunda etapa do programa habitacional do conjunto Dioclécio Artuzi, casas que têm sido benção na vida de muitas pessoas. Encaminhei Lei à Câmara para que as casas fossem entregues por sorteio público. Agora tenho conhecimento para fazer mais e uma das medidas é ter mais justiça na distribuição das casas”.

Educação – Délia cita a valorização dos servidores, mantendo suas conquistas adquiridas por lei, e um diálogo permanente com as categorias como políticas para melhorar a qualidade do ensino.

Entre outras ações que fazem parte de seu projeto de governo, Délia inclui o período integral nas creches e ampliação de vagas através de convênios. “As equipes para os dois períodos já existem, faltam gestão e vagas para que as crianças fiquem o dia todo. A maioria das pessoas que levam as crianças na creche trabalha o dia inteiro”.

Gastos – Délia promete fazer uma “gestão baseada na austeridade” para não gastar mais do que o município arrecada. “O orçamento para 2017 está aprovado e quando se assume a prefeitura todo mandatário avalia a situação. Não tenho como dizer que vou cortar gastos, já que ainda há alguns meses do atual governo. O que garanto é que faremos o melhor pela nossa cidade”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions