A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

04/09/2012 12:47

Deputado defende rompimento diplomático com Bolívia e Paraguai

Fabiano Arruda
“É inadmissível essa conivência da União com Bolívia e Paraguai. São países que não têm lei”, diz deputado Rinaldo Modesto. (Foto: Divulgação)“É inadmissível essa conivência da União com Bolívia e Paraguai. São países que não têm lei”, diz deputado Rinaldo Modesto. (Foto: Divulgação)

O deputado Rinaldo Modesto (PSDB) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira para cobrar medidas emergenciais por parte do Governo Federal em relação aos países que fazem fronteira com o País, sobretudo, Bolívia e Paraguai.

Ele defende que, caso necessário, o Brasil rompa relações diplomáticas com os vizinhos. O protesto surge em meio às mortes dos universitários Breno Luigi Silvestrini, de 18 anos, e Leonardo Batista Fernandes, de 19 anos, assassinados com tiros na cabeça, na Capital.

Os bandidos sequestraram os jovens para roubar um veículo Pajero em que eles estavam. O carro seria levado para a Bolívia.

“É inadmissível essa conivência da União com Bolívia e Paraguai. São países que não têm lei”, criticou, pedindo também que Estado e municípios, que fazem parte da fronteira, adotam medidas de prevenção e combate à criminalidade.

O tucano já havia defendido legislação mais rigorosa por conta da situação em que carros roubados no Brasil são levados à Bolívia. “Em novembro do ano passado encaminhamos documento para o Governo Federal pedindo providências e até agora nada”.

Em outubro de 2011, o Congresso realizou uma audiência para abordar a norma 133, do governo boliviano, que legaliza todos os carros no seu País, o que atingiu diretamente o Brasil.

No dia 8 de junho, o governo boliviano autorizou a regularização de carros ilegais no País, por meio de pagamento de tarifa. A taxa para a nova documentação de carro com passado desconhecido varia entre US$ 2 mil e US$ 3 mil.

Dados divulgados, à época, pela Fenaseg (Federação Nacional das Empresas de Segurança Privados) aponta que, dos 377.250 carros roubados na Brasil, 53% não foram recuperados. O principal destino dos automóveis furtados são os desmanches ou países como o Paraguai e a Bolívia.

Na prática, a lei é um atestado que de veículos roubados em Mato Grosso do Sul, que faz fronteira com a Bolívia por Corumbá, e em todo território nacional, não serão mais recuperados.



E qual a diferença entre esses países e o estado do MS???
 
arivaldo paiva em 07/09/2012 10:26:09
Parabens deputado.prem espero que não esteja usando odram,a das familia dos dois jovens mórto em um palanque. deputado pro que não cobrar da nossa bancada federal uma atitude seria a respeito de bolivia , e paraguai? alis a bolivia tem muito poder sobre o brafasil a pouoco tempo tomou a força as instalações da petrobras, ameaçou interroper o fornecimento do gas, e ai que fisemo?/
 
jose carlos em 06/09/2012 08:42:11
É interessante o protesto e plausível também. Contudo, não acho que a Bolívia e o Paraguay são países que não têm lei. Basta ver o que ocorreu aqui no MS esses dias, onde funcionários públicos são obrigados a votar através de cabresto. Isso é lei? Quem punirá? Talvez no âmbito eleitoral, Paraguay e Bolívia deixam o Brasil no chinelo. Além disso, cadê a eficácia do Brasil em controlar a fronteira?
 
Carlos C. Neto em 04/09/2012 05:01:48
Parabens Deputado pela iniciativa, o rompimento com o Paraguai e a Bolivia não resolve o problema, primeiro precisamos mudar nossas leis e aplica-las ,latrocidas como esses que mataram os jovens, não podem serem soltos, mais conforme nossas leis em breve estaram soltos.
 
Orivelto Dutka em 04/09/2012 04:53:01
É um excelente momento para discursos populistas. Querer resolver os problemas dos outros antes dos seus, é ótimo.
 
Áttila Gomes em 04/09/2012 03:32:50
Até que enfim algum deputado esta tentando fazer algo concreto pelo menos para tentar melhorar ......Parabens deputado!
 
josy da silva em 04/09/2012 02:01:34
Antes de os políticos brasileiros criticarem Bolívia e/ou Paraguai, pq não se preocupam em evitar que esses carros, frutos de roubo, deixem o país livremente através de nossas fronteiras? Se saem do país, é pq não há nada que o impeçam. Já fui a Ponta Porã umas 300 vezes, e NUNCA fui abordado por um policial rodoviário... Pense nisso, sr deputado.
 
Flávio Guimaraes em 04/09/2012 01:51:06
logo que no nosso pais à pena para receptador, nada mais justo é tratar ajudantes de ladrões como paraguai - bolivia como tais, são receptadores logo que seus governantes aceitam negociações com latrocidas, como estes que não deixou somente pais feridos mas toda esta sociedade que chora por ter perdido pessoas dignas de viver, nas mão de quem não merecia nem ter nascido. atitude é o que esperamos.
 
leandro garcia em 04/09/2012 01:36:31
Caro colega, o Brasil está nas mãos da Bolívia, e quando ouvir que algum parlamentar irá cobrar providências enérgicas contra esse País, vá até o final para ver se irá cobrar, pois o que aqui publicam caem no esquecimento, mas não desaparece. No passado não muito distante, a Bolívia ameaçou a cortar o precioso gás, houve um desespero total.
 
Admilson de Oliveira em 04/09/2012 01:30:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions