ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, TERÇA  29    CAMPO GRANDE 36º

Política

Deputados aprovam com urgência criação de 58 cargos na Assembleia

Projeto que foi apresentado nesta semana, já teve aprovação dos parlamentares durante sessão

Por Leonardo Rocha | 28/02/2019 13:14
Deputados aprovaram o projeto, durante sessão desta quinta-feira (Foto: Assessoria/ALMS)
Deputados aprovaram o projeto, durante sessão desta quinta-feira (Foto: Assessoria/ALMS)

Os deputados aprovaram o projeto que cria 58 cargos, sem concurso público, na Assembleia Legislativa. Serão 24 vagas para assessor técnico legislativo, 24 de auxiliar de apoio (legislativo) e mais 10 de assessor, com salários que variam entre R$ 1.078,23 e R$ 3.080,66.

Estes novos cargos serão nomeados pela mesa diretora, e de acordo com a Assembleia, os novos servidores vão atuar no apoio às 16 comissões do legislativo, para assessoria das atividades, atuando em tarefas administrativas.

Segundo a assessoria, os cargos não interferem as nomeações de vagas destinadas ao concurso público da Assembleia, que são vagas para atividades técnicas. O primeiro-secretário da Casa de Leis, o deputado Zé Teixeira (DEM), disse que os novos cargos foram uma decisão e ato do presidente (Assembleia), Paulo Corrêa (PSDB).

Entramos em contato com Paulo Corrêa, mas ele não atendeu as ligações. A assessoria da Assembleia, por meio de nota, informou que a medida “obedece preceitos legais” e que as despesas pelo novos cargos, serão custeadas por recursos próprios do legislativo, sendo criados  para “assessoramento” das atividades da Casa de Leis.

Para o cargo de assessor técnico legislativo, o valor pago será de R$ 2.156,46. Já os auxiliares de apoio legislativo terão um vencimento de R$ 1.078,23, enquanto ao cargo de assessor I, o valor (salário) será de R$ 3.080,66.

Além disto, houve a transformação de 15 cargos de recepcionista, que passarão a ser chamados de auxiliar de apoio legislativo, tendo o salário de R$ 1.078,23. A proposta foi apresentada e votada nesta semana, com tramitação rápida na Assembleia.

Regras de comentário