A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

11/06/2015 13:56

Deputados dizem que reforma decepcionou e está abaixo do esperado

Leonardo Rocha
Deputados reclamam de reforma política, pois poucos mudanças vão acontecer na prática (Foto: Roberto Higa/ALMS)Deputados reclamam de reforma política, pois poucos mudanças vão acontecer na prática (Foto: Roberto Higa/ALMS)

Os deputados estaduais criticaram a reforma política que está sendo votada na Câmara dos Deputados, pois segundo eles tiveram poucos avanços, como o fim da reeleição e mandato de cinco anos, mas não evoluiu em pontos como financiamento de campanha, voto distrital e eleição geral para todos os cargos políticos.

“Esta reforma não aconteceu, não vi ainda, apenas de faz de conta, para acontecer tinha que acabar o corporativismo, não se pode ter 32 partidos, sendo 28 representantes no Congresso, no máximo deveria ter cinco, nos Estados Unidos funciona com dois”, disse Zé Teixeira (DEM).

O democrata ainda ponderou que o país não suporta mais eleição de dois em dois anos, pelo custo que gera, além de todo o tempo disponível para campanha. “O retrato disto são estes casos de corrupção, com gastos astronômicos, o voto também deveria ser espontâneo”.

Para Mara Caseiro (PT do B) a reforma só foi feita para “enganar o povo”, já que não teve grandes mudanças, entre elas a oportunidade de “alinhar” os mandatos de prefeito, governador e presidente. “Esta seria uma conquista, pois os mandatos no mesmo período poderia trazer mais parcerias”. Ela ainda rejeitou o mandato de 9 anos para senadores, mas elogiou o fim da reeleição.

Márcio Fernandes (PT do B) citou que cinco anos de mandato é ideal, pois acima disto já não traz benefícios. “Também acredito que deve ter eleição em que os mais votados no legislativo se elegem, sem legenda, assim como unificar as eleições”.

Eduardo Rocha (PMDB) justificou que o voto ainda precisa ser obrigatório, já que não existe consciência política suficiente, porém quer eleição única, com mandato de cinco anos, sem reeleição. “Temos que evoluir, não adianta fazer pequenas mudanças, a população vai cobrar”.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions