A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Setembro de 2018

07/03/2018 13:34

Deputados planejam gastos menores para campanha deste ano

Eles alegam que as doações serão menores devido as mudanças nas regras eleitorais

Leonardo Rocha
Deputados durante sessão na Assembleia (Foto: Assessoria/ALMS)Deputados durante sessão na Assembleia (Foto: Assessoria/ALMS)

Os deputados alegam que com as mudanças nas regras eleitorais, a eleição deste ano deve apresentar gastos menores, já que via se diminuir o números de doares e o tempo de campanha também será reduzido, sendo na prática de apenas 30 dias nas ruas.

Márcio Fernandes (MDB) lembra que as doações só serão feitas de pessoas físicas, além de existir regras sobre quanto esta pessoa pode contribuir e o limite para cada deputado. "Vai se reduzir os custos, o doador poderá oferecer apenas 10% do seu rendimento, por isso cada candidato terá que se virar para conseguir os votos".

Ele adiantou que já está planejando sua "planilha de gastos" e que vai visitar 42 cidades antes e durante a campanha. "Já estou viajando e conversando com minha base eleitoral, também já conversar com as pessoas que querem nos ajudar", disse Fernandes.

Eduardo Rocha (MDB) destacou que as doações irão abaixar e que já está se organizando para nova realidade. "Vamos ter que trabalhar com a ajuda do partido e dinheiro próprio, mas também sabemos que a campanha será de 45 dias, sendo na prática de 30 (dias)", ponderou.

Maurício Picarelli (PSDB) entende que o cenário será de redução de custos. "Não me atrapalha na campanha, já que sempre gastei pouco, usando apenas o que o partido me enviava e um pouco de doação, por isso vou continuar neste ritmo". Pedro Kemp (PT) também admite que os gastos irão cair "consideravelmente", mas também cita a campanha menor, com apenas um mês na rua.

Contrários - Para José Carlos Barbosa (PSB) apesar das mudanças nas regras eleitorais, os gastos dos candidatos devem ser iguais aos pleitos passados. "Cada um deve manter os custos anteriores, não acredito que terá reduções drásticas, somente aqueles que gastaram acima do limite, irão da ruma controlada".

Para Amarildo Cruz (PT) os gastos não serão menores que em campanhas anteriores. "Existe muita hipocrisia sobre o assunto neste País". De acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o limite de gastos para deputado estadual será de R$ 1 milhão.

Já sobre as doações só podem ser feitas por pessoas físicas, tendo o limite de 10% de seus rendimentos brutos, que são verificados no ano anterior à eleição. A resolução ainda permite o uso do financiamento coletivo, a chamada "vaquinha" para arrecadar recursos, podendo ser feitas a partir de 15 de maio deste ano.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions