ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, TERÇA  01    CAMPO GRANDE 30º

Política

Do PT ao PSL, mais de 60% dos candidatos em MS mudaram de partido para eleições

1.511 candidatos que disputaram eleição em 2016 mudaram de partido para este ano; entre eles, há quem tenha ido do PT ao PSL

Por Guilherme Correia | 20/10/2020 09:51
Santinhos de diversos partidos nas ruas de Campo Grande durante eleições de 2018, ano em que PT e PSL dividiram eleitores por todo o Brasil (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
Santinhos de diversos partidos nas ruas de Campo Grande durante eleições de 2018, ano em que PT e PSL dividiram eleitores por todo o Brasil (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

Dentre 2.470 candidatos a prefeito, vice e vereador nos municípios de Mato Grosso do Sul, que também concorreram nas eleições passadas, aproximadamente 61,1% mudaram o partido pelo qual vão concorrer no Estado - casos incluem até mudanças mais "radicais" de partidos nacionalmente rivais, como PT e PSL.

Levantamento feito pelo Campo Grande News, com base em dados abertos do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), indica que 1.511 candidatos mudaram legenda, enquanto 959 permaneceram no mesmo partido.

O PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), que tem maior número de candidatos aptos e cadastrados pela Justiça Eleitoral (1.114) em Mato Grosso do Sul, recebeu 314 candidatos de diversos partidos - e 220 vêm das eleições passadas.

Rivais nacionais - Eleito vereador por Novo Horizonte do Sul em 2016 pelo PT (Partido dos Trabalhadores), o agricultor Daniel Alves, de 56 anos, se recandidata ao cargo pelo partido que, em nível nacional, tem rivalizado com os petistas - o PSL (Partido Social Liberal). Ao Campo Grande News, ele explica o porquê da mudança. "O PT mudou um pouco posicionamento dele aqui no município. Eu sempre fui candidato de oposição, mas aqui eles estavam apoiando o partido do governador [PSDB]. Não foi o ideal do partido".

Nas últimas eleições, Alves fazia parte da coligação com o PDT “Avante Novo Horizonte do Sul”. Dentre os 366 candidatos pelo PSL em 2020, 48 vieram de outros partidos.

Caminho oposto foi traçado pelo comerciante Mario Veras Sanches, que em 2016 se candidatou pelo PSL (Partido Social Liberal) pela coligação “Junto Somos Mais Maracaju III”, que agremiava os partidos PSD, PTB, PV, PSDC, PT e PSL. Sanches busca cargo de vereador em Maracaju, distante 157 quilômetros de Campo Grande.

A reportagem não conseguiu entrar em contato com o candidato, mas ouviu representante do diretório municipal do partido, que reforçou que as mudanças de partido são recorrentes. "Aqui em Maracaju, uns 30 candidatos trocaram de partido. E tem alguns que tentam reeleição - uns quatro também trocaram de partido. Migraram de partidos que eram oposição e que agora são de direita ou de esquerda, por exemplo".

Agora, em 2020, o candidato que chega aos 50 anos, continua na busca pela vereança da cidade, mas sob as cores do PT (Partido dos Trabalhadores). O PT, atualmente, tem 520 candidaturas registradas para 2020 - 74 concorreram pelo mesmo partido nas últimas eleições, enquanto além de Alves, outros 54 candidatos mudaram do PT para outro partido.

Mudança de nomes - Entre candidatos que pleitearam cargo em 2016 e tentam novamente em 2020, 258 concorriam pelo PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) - 123 permaneceram no partido, que agora mudou para MDB (Movimento Democrático Brasileiro). Neste ano, o MDB tem a segunda maior quantidade de candidatos - são 862, entre os cadastrados e os já aptos.

O PT do B (Partido Trabalhista do Brasil) que alterou nome para Avante, possuía 59 candidatos em 2016 - oito desses foram para a nova legenda. Além deles, outros 16 candidatos vieram do PDT, PMDB, PMB, PR, PSDB, PSL, PTN e PV.

De 192 candidatos em 2016 do PR (Partido da República), 13 se filiaram pela nova alcunha do partido - o PL (Partido Liberal), que em 2020 deve lançar 126 candidatos (38 deles vieram de outros partidos).

(*) matéria atualizada às 11h13 para acréscimo de informação

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário