ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  27    CAMPO GRANDE 28º

Política

Em Dourados, Alckmin diz que crescimento da economia é meta para o país

Pré-candidato tucano à Presidência da República afirma que gestores atuais enfrentaram três anos de recessão e, em meio a propostas, diz a jornalistas prever melhora da economia

Por Humberto Marques e Helio de Freitas, de Dourados | 29/06/2018 17:20
Alckmin afirma que proposta do PSDB envolve dobrar a renda do brasileiro. (Fotos: Helio de Freitas)
Alckmin afirma que proposta do PSDB envolve dobrar a renda do brasileiro. (Fotos: Helio de Freitas)

Presidenciável do PSDB, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou nesta sexta-feira (29) em Dourados –a 233 km de Campo Grande– que a meta dos tucanos em caso de vitória na disputa pelo Palácio do Planalto é focada na melhoria das condições financeiras da população. Em uma fala a jornalistas focada na infraestrutura e apoio às prefeituras, ele afirmou que o plano de gestão para a economia visa a dobrar a renda das famílias.

“A nossa meta é dobrar a renda dos brasileiros. Chamamos os melhores economistas: Persio Arida, Edmar Bacha”, afirmou Alckmin, ladeado pelo governador Reinaldo Azambuja e outras lideranças do PSDB. O candidato a presidente participa de atos políticos na cidade e, no sábado (30) estará em Campo Grande com o mesmo objetivo.

Na chegada ao Aeroporto de Dourados, Alckmin lembrou que, na quinta-feira (28), apresentou em Cascavel e Maringá, no Paraná, os planos de governo do partido. Além de elogiar a gestão de Reinaldo –prevendo que “o melhor está por vir” em caso de um segundo mandato–, ele considerou que os próximos quatro anos serão de crescimento econômico mais intenso do que os quatro anteriores.

“Fomos colegas, de quatro anos pegamos três de recessão, quer dizer, o Estado sofre consequências da recessão da economia nacional”, pontou Alckmin. “Nosso foco é o crescimento, o que todos queremos é que o Brasil volte a crescer. O Brasil, da década de 1930 a 1980 foi o país que mais cresceu no mundo. Por 50 anos cresceu 5% por ano”, emendou, recordando que, quando foi prefeito de Pindamonhangaba (SP), a taxa de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) era de 11% ao ano.

Presidenciável tucano cumpre agendas em Dourados e Campo Grande neste fim de semana
Presidenciável tucano cumpre agendas em Dourados e Campo Grande neste fim de semana

Agenda – “O Brasil passou a crescer pouco e de forma não sustentável”, destacou, apontando que é possível retomar tais taxas de crescimento. “O que precisa? De uma agenda de competitividade. O Brasil ficou caro, um país caríssimo”. Tal “agenda”, frisou, inclui a educação. “Subir 50 pontos no Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) representa 1% a mais no PIB em caráter permanente, pelos ganhos de produtividade”.

Alckmin também atacou o sistema bancário, defendendo a concorrência e o estímulo a cooperativas de crédito e, especificamente sobre Mato Grosso do Sul, defendeu investimentos em infraestrutura, colocando a aceleração das obras de duplicação da BR-163 e a construção da Ferroeste, ligando a Grande Dourados ao porto de Paranaguá (PR) como prioridades.

Regras de comentário