ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  29    CAMPO GRANDE 23º

Política

Empresa italiana fará estudos em MS para decidir instalação de unidade

Por Carlos Martins | 18/04/2013 14:34
Governador foi à AL e fez um relato de sua viagem aos deputados (Foto: Giuliano Lopes/ALMS)
Governador foi à AL e fez um relato de sua viagem aos deputados (Foto: Giuliano Lopes/ALMS)

A Merlo, empresa visitada pelo governador André Puccinelli na Itália, vai trazer quatro máquinas hidráulicas para ficarem em apresentação durante um ano no Estado. Uma equipe virá também para fazer estudos para verificar a viabilidade de a empresa se instalar em Mato Grosso do Sul.

“Tenho quase a convicção de que estas duas empresas virão para cá”, disse o governador, se referindo a Merlo e a empresa de biotecnologia chinesa BBCA, que em maio deverá enviar seu presidente a Maracaju para assinar o acordo de instalação de uma unidade que vai esmagar anualmente 600 mil toneladas de milho, do qual resultam cerca de 40 produtos, como amido, glucose, frutose, maltose, óleo, lisina, entre outros.

A partir de um trator base, a Merlo forma oito tipos diferentes de tratores. “É a empresa com tecnologia mais sofisticada da Europa. Um [trator] acopla um telescopia hidráulico de 30 e poucos metros , você tira o implemento e põe a pá carregadeira, você tira e põe a lâmina, tira e põe a retroescavadeira”, explicou Puccinelli, em entrevista à imprensa nesta quinta-feira, logo após se reunir por uma hora e meia com os deputados na Assembleia Legislativa.

Além desta empresa, Puccinelli disse que de 15 a 20 empreendimentos virão através de uma missão formada pela Câmara Brasil-Itália. “Provavelmente em junho ou julho a missão vem para Mato Grosso do Sul, juntamente com outros empresários chineses”, informou o governador. .

O local da possível instalação da empresa italiana ainda não está definido. “A localização estratégica quem define é a infraestrutura logística necessária. Eu sou pai de 79 filhos onde se instalar eu vou acolher com isenção de 90% do ICMS”, finalizou Puccinelli.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário