ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 31º

Política

Empresários e pecuaristas lideram ranking de maiores doadores em campanhas de MS

Até agora, R$ 932 mil foram transferidos às campanhas políticas no Estado

Guilherme Correia | 26/08/2022 16:18
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Empresários ligados ao agronegócio, Candido Botelho Bracher e Rubens Ometto estão entre os que mais doaram a candidatos de MS. (Foto: Reprodução)
Empresários ligados ao agronegócio, Candido Botelho Bracher e Rubens Ometto estão entre os que mais doaram a candidatos de MS. (Foto: Reprodução)

O período de campanha eleitoral teve início na semana passada e, desde então, empresários e pecuaristas figuram no topo da lista dos que mais doaram dinheiro a candidaturas em Mato Grosso do Sul.

Conforme dados disponíveis no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), até esta sexta-feira (26), pessoas físicas doaram aproximadamente R$ 932 mil para as campanhas sul-mato-grossenses.

Desde 2015, o STF (Supremo Tribunal Federal) proibiu doações de empresas a candidatos e partidos políticos. Desta forma, as candidaturas podem ser financiadas por meio do Fundo Eleitoral e do Fundo Partidário. No Estado, juntos, os dois representam quase R$ 21 milhões. Além disso, pessoas físicas também podem destinar recursos.

Empresários ou qualquer pessoa pode doar, mas sem ultrapassar 10% do rendimento da declarado no ano anterior à eleição.

Maiores doadores em MS

Lidera o ranking o empresário Antônio Celso Cortez, delatado pelos irmãos Batista por receber propina paga pela empresa JBS. Ele chegou a ser penalizado durante as investigações, mas teve os bens desbloqueados pelo Poder Judiciário. Só o empresário transferiu R$ 300 mil à campanha de José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, candidato a deputado estadual.

O empresário Rubens Ometto Silveira Mello doou R$ 100 mil à campanha da candidata ao Senado Tereza Cristina (PP). Mello foi considerado um dos 10 maiores bilionários brasileiros, em 2021, pela Revista Forbes, com patrimônio estimado em R$ 46 bilhões.

Ele é dono da Cosan, que reúne a Raízen e Rumo, companhias do agronegócio. Em 2018, ele repassou R$ 6,3 milhões a diferentes campanhas políticas em todo Brasil.

O empresário Cândido Botelho Bracher, que presidiu o Itaú Unibanco, transferiu R$ 66.666 ao candidato a deputado federal Geraldo Resende (PSDB). Em seguida, o também empresário Rodrigo Lagemann doou R$ 40 mil a Lúcio Lagemann (PL), candidato a deputado estadual.

Também do setor agropecuário, com propriedades em Chapadão do Sul, Renato Bürgel doou R$ 20 mil a Marcos Sborowski Pollon (PL), que busca vaga de deputado federal em Brasília.

O empresário Mario Burhke Haberfeld, que detém a organização Onçafari, doou R$ 30 mil ao candidato a senador Luiz Henrique Mandetta (União).

O pecuarista Jacintho Neto doou R$ 20 mil à Luana Ruiz da Silva de Figueiredo (PL), candidata à deputada federal, que foi secretária-adjunta de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura durante o governo Bolsonaro. Ela também recebeu R$ 20 mil dos produtores rurais Flávio Pascoa Teles de Menezes e Hélio Pereira de Moraies Filho.

O empresário e fazendeiro Walter Schlatter doou R$ 20 mil à Tereza Cristina (PP) - Ela também recebeu R$ 20 mil do empresário Mário Sérgio Cutait, que presidiu a IFIF (International Feed Industry Federation), entidade mundial da indústria alimentícia.

Por fim, na lista dos 11 maiores doadores, Iara Diniz Contar, que também é candidata, depositou R$ 20 mil na campanha do marido, o candidato a governador Renan Contar (PL).

Candidatos com mais doações em MS

Na comparação entre os candidatos que mais receberam transferências de pessoas físicas nestas eleições, Zeca do PT aparece na frente, com R$ 300 mil, seguido por Tereza Cristina, com o montante de R$ 171 mil.

Em seguida, os candidatos à Câmara dos Deputados, Luana Ruiz Silva (R$ 105,5 mil) e Geraldo Resende (R$ 66.666), além de Luiz Henrique Mandetta (R$ 47.020), Lucio Lagemann (R$ 40 mil) , Renan Contar (R$ 20.107 mil) e Marcos Pollon (R$ 20 mil). Os dados foram consultados no TSE e podem ser conferidos por este link.

(*) Matéria atualizada para correção de informação.

Nos siga no Google Notícias