A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017

03/12/2014 12:57

Equipe de Reinaldo deve ter técnicos, aliados e coordenadores de campanha

Leonardo Rocha
Equipe de governo de Azambuja deve ter quadros técnicos e composição com os partidos (Foto: Marcos Ermínio)Equipe de governo de Azambuja deve ter quadros técnicos e composição com os partidos (Foto: Marcos Ermínio)

O governador eleito, Reinaldo Azambuja (PSDB), irá revelar a lista completa de seus secretários até o dia 20 de dezembro, no entanto a sua equipe deve ser montada por quadros técnicos, integrantes que coordenaram e participaram da sua campanha, além de aliados políticos, que o apoiaram no primeiro e no segundo turno.

Reinaldo já confirmou o convite a Eduardo Riedel, atual presidente da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), para ficar na Secretaria de Governo, assim como a vice-governadora, Rose Modesto, que deve ir para Setas (Secretaria Estadual de Assistência Social) e ao deputado federal eleito, Márcio Monteiro (PSDB), que poderá assumir a Secretaria de Fazenda.

Os coordenadores de campanha de Azambuja também devem integrar os quadros do governo estadual. Marcelo Miglioli está cotado para assumir a Secretaria de Obras, enquanto que Sérgio de Paula deve ficar na Casa Civil, fazendo a articulação política do governo.

Carlos Alberto Assis poderá assumir o Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito MS) ou a Fundesporte, que ainda pode ser comandada por Dirceu Bertoni ou Júlio Kumiama, que inclusive já presidiu a pasta, na gestão de André Puccinelli (PMDB).

Para os aliados, o presidente estadual do SD (Solidariedade), Alessandro Menezes, deve ser indicado para alguma pasta no governo, assim como o ex-vereador Athayde Nery (PPS), que poderá ficar a frente da Fundação de Cultura, apesar de existir alguma resistência de profissionais desta área.

João Bosco Martins (PSD) deve retornar ao comando da Fertel (Fundação Estadual de Rádio e TV Educativa de Mato Grosso do Sul). Para os quadros técnicos, o procurador de justiça Sílvio Maluf está cotado para ficar na Secretaria de Segurança Pública, tendo Maria do Carmo Avesani, para Secretaria de Habitação e Maria Cecília Amêndola, no comando da Educação.

Nelson Tavares é o favorito para assumir a Secretaria de Saúde, tida como prioridade na gestão de Azambuja. Ademar Silva Júnior, ex-presidente da Famasul, está cotado para a pasta de Agricultura e Pecuária. Rodrigo Mendes, que esteve no Marketing na campanha de Reinaldo, pode assumir a Secretaria de Comunicação.

Azambuja deve se reunir com os partidos aliados e receber novos nomes para fazerem parte do governo, sendo no 1° escalão ou nas fundações, autarquias e superintendências. Ele já ressaltou que seu secretariado será uma mescla de técnicos e indicações políticas.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions