A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

10/10/2012 12:40

Ex-presidente do PT José Genoíno entrega cargo de assessor especial

Luciana Brazil

O ex-presidente do PT José Genoíno entregou o cargo de assessor especial do Ministério da Defesa na manhã desta quarta-feira (10). O anúncio aconteceu na sede do PT, onde Genoíno leu uma carta afirmando que o STF (Supremo Tribunal Federal) teria errado em sua condenação no julgamento do mensalão.

Durante o pronunciamento, que demorou cerca de cinco minutos, Genoíno disse não se envergonhar de nada. O petista não falou com os jornalistas e cercado por assessores, leu a carta com as mãos trêmulas.

"Retiro-me do governo com a consciência dos inocentes", afirmou o ex-presidente do PT. "Não me envergonho da nada."

A maioria dos ministros do STF votou ontem, durante o julgamento do mensalão, pela condenação de José Genoíno pelo crime de corrupção ativa. "A Corte errou. A Corte foi, sobretudo, injusta. Condenou um inocente, condenou-me sem provas. Reservo o direito discutir democraticamente esta decisão”, afirmou.

O Palácio do Planalto já havia avisado ao Ministério da Defesa que Genoino teria que pedir demissão do cargo no governo quando terminasse o julgamento de sua participação no mensalão.

De acordo com a Procuradoria, o ex-presidente petista participou das negociações com os partidos aliados e com os bancos que alimentaram o “valerioduto” e orientou a distribuição do dinheiro do esquema.

A defesa do ex-presidente do PT afirma que Genoino não lidava com as finanças do partido, apenas com a articulação política. O esquema de compra de apoio político no Congresso, que ficou conhecido como mensalão, foi revelado em 2005, e foi o principal escândalo do governo Lula, provocando uma CPI no Congresso. (Com o site Folha de São Paulo).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions