A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 11 de Dezembro de 2018

27/04/2018 10:01

Gastos de campanha serão bem abaixo do limite, avaliam deputados

Tribunal Superior Eleitoral estipulou o limite de R$ 1 milhão para gastos de deputados estaduais

Leonardo Rocha
Deputados Lídio Lopes (PEN), Eduardo Rocha (MDB), Márcio Fernandes (MDB) e Antonieta Amorim (MDB), durante sessão (Foto: Luciana Nassar/ALMS)Deputados Lídio Lopes (PEN), Eduardo Rocha (MDB), Márcio Fernandes (MDB) e Antonieta Amorim (MDB), durante sessão (Foto: Luciana Nassar/ALMS)

Os deputados estaduais que tentarão a reeleição neste ano, alegam que os gastos de campanha serão bem abaixo do limite estipulado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que é de R$ 1 milhão por candidato ao legislativo estadual. Eles justificam que com o fim das doações de empresas, além das restrições impostas, vão arrecadar menos neste pleito.

“O limite é um valor bem alto, preciso de bem menos para fazer minha campanha, que certamente terá redução das doações e os candidatos não terão de onde buscar, tem alguns que vão investir do próprio bolso, mas no meu caso será com ajuda de apoiadores e do partido”, disse o deputado Lídio Lopes (PEN), que tenta o seu terceiro mandato na Assembleia.

Márcio Fernandes (MDB) lembra que com o fim das doações de empresas e restrições para as pessoas físicas, vai ser mais difícil os gastos com a campanha. “Por esta razão acredito que este limite imposto é suficiente, eu por exemplo tenho pessoas que vão me ajudar, os gastos serão menores”.

Divisão - Amarildo Cruz (PT) destaca que já gastava bem menos que este valor (limite), mas que neste pleito cada partido terá que se organizar, para dividir os recursos de campanha. “Na minha última (campanha) o gasto foi de R$ 600 mil, porém acredito que nem vai ser isto neste ano, depende do rateio (recurso) do partido, assim como as doações individuais”.

Já George Takimoto (MDB) acredita diz que deve gastar nem metade deste valor. “Não sei ainda quanto vou gastar, mas os candidatos não podem fazer campanha e ficar devendo neste período de crise, mas sempre haverá aqueles que vão esbanjar”. O parlamentar também citou que os eleitores estão mais conscientes. “Eles sabem que se vender o voto, será vendido depois”.

Período – A campanha eleitoral deste ano terá 45 dias de duração e deve começar a partir do dia 16 de agosto, sendo que a eleição está prevista para 7 de outubro. Os postulantes aos cargos precisam fazer o registo da candidatura até 15 de agosto.

Foi fixado os limites de gastos na campanha. Para os candidatos à presidência da República o valor será de R$ 70 milhões. Na disputa ao governo é de R$ 21 milhões. Aos candidatos ao Senado será de R$ 5,6 milhões. Já os deputados federais terá um teto de R$ 2,5 milhões e aos (deputados) estaduais de R$ 1 milhão.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions