A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Julho de 2018

02/10/2010 08:13

Gente comum conquista fama depois de campanha eleitoral

Redação

A campanha eleitoral em Mato Grosso do Sul manteve nomes conhecidos nas apostas de urna, mas sempre apresenta gente comum com nomes inusitados e bordões que ganham as ruas. O Campo Grande News conversou com duas "figuras" que pleiteam vagas no legislativo. Os personagens vão de um homem que faz questão de declarar a própria maluquice e outro que chega de trenó em dezembro.

O vereador de Paranaíba Maycol Henrique Queiroz Andrade, de 28 anos, deixou de ser reconhecido pelo nome de batismo. Em sua cidade, e em grande parte do Estado, o candidato a deputado federal pelo PDT virou o "Maico Doido". Depois de meses na televisão, hoje ele diz que é a sensação da criançada.

"Se as crianças de 10, 11, 12 anos votassem, eu seria o deputado federal com mais votos. Por isso, peço para eles incentivarem os pais a votarem em mim", conclama.

Quando decidiu disputar cadeira na Câmara dos Deputados, Maycol virou motivo de chacota. "As pessoas não acreditavam em mim, me revoltei e aí mandei o 'Tá tudo errado'", diz o jovem, reforçando a frase que virou seu bordão de campanha.

"O apelido veio desse meu jeito explosivo, de falar na cara, de dizer o que pensa. Sou assim mesmo", frisa com a voz entusiasmada.

Em seu primeiro mandato como vereador, Maico Doido conquistou o quarto lugar na eleição de 2008, com 1.004 votos. Antes da vida política, "Doido" vivia da venda de gado e cavalos em fazendas na região de Paranaíba.

Mesmo com a lida pesada do campo, Maycol tentou o ensino superior por três vezes. "Comecei Educação Física, mas não terminei por conta do excesso de faltas. Depois tentei Matemática, mas andava muito estressado e não conclui. Por último quis fazer Administração, mas estava muito cansado, por causa do trabalho", relata.

Em agosto deste ano, o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) barrou o uso do nome "Doido" na campanha de Maycol. Ao tomar ciência da decisão do tribunal, o candidato se revoltou. "Eu sou conhecido pela minha revolta. Revolta por terem me barrado, sou revoltado com a situação do Estado, do governo", afirma o indignado.

Mesmo sem usar o nome que, segundo ele, ajudou a elegê-lo vereador em Paranaíba, Maycol saiu beneficiado. "Eles me impedirem de chamar de Doido e acabaram me ajudando. Quem não conhecia, passou a saber quem eu sou. Hoje, onde eu passo, vem umas 20, 30 crianças correndo e gritando 'Tá tudo errado'", conta Maycol.

De acordo com a última pesquisa do Ipems, Maico Doido aparece em 7° lugar na coligação A Força do Povo, a frente de "veteranos" como Elias Ishy e Coronel Azamor.

Barba com xampu

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions