A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

30/01/2012 16:40

Giroto espera que Dilma abra mais a mão e atenda os municípios em 2012

Wendell Reis
Deputado acredita que PMDB deve reagir contra a indicação de Teruel à Funasa(Foto: Marlon Ganassin)Deputado acredita que PMDB deve reagir contra a indicação de Teruel à Funasa(Foto: Marlon Ganassin)

O deputado federal Edson Giroto (PMDB) espera que a presidenta da República, Dilma Rousseff (PT) “trate o Congresso um pouco melhor” em 2012. O deputado entende que a presidenta deve liberar mais recursos para os municípios.

Giroto diz compreender que a presidenta precisa de uma gestão fiscal forte e tem razões para fazê-las. Porém, acredita que se não fizer investimentos, a taxa de emprego vai cair, já que, segundo ele, é o Governo que alimenta a economia.

Racha com o PT - O deputado também falou sobre o relacionamento com o Governo Federal após a exoneração de Flávio Britto na Funasa (Fundação Nacional de Saúde). Giroto avalia que existe uma disputa entre os partidos, mas diz que o Governo Federal precisa manter o compromisso feito com a base aliada.

“Quando tem base aliada, tem que respeitar. Se perder esta linha de pensamento de governabilidade, vai perder a condição de conduzir a administração pública. Acho que vai ter reação. Neste caso quebrou um acordo. É pior ainda”.

Giroto ressalta que a questão não é dizer se a troca é algo pequeno ou grande, mas uma questão de posicionamento. O deputado compara o descumprimento com a campanha para a prefeitura de Campo Grande, dizendo que o compromisso feito agora com os aliados deve ser cumprido, pois é uma questão de credibilidade.

A saia justa entre o PT e o PMDB começou depois que Flávio Britto, indicado do PMDB na superintendência da Funasa em Mato Grosso do Sul, foi trocado pelo ex-deputado Pedro Teruel (PT). O PMDB alega que houve uma quebra de acordo, já que o Governo Federal garantiu que não trocaria os superintendes da Funasa indicados pelo PMDB. Já o senador Delcídio Amaral (PT) entende que não há quebra de acordo, tendo em vista que Flávio Britto apoiou José Serra na eleição para presidente da República.



Quebra de acordo foi o governador apoiar Serra do PSDB. Agora Nelsinho sim apoiou Dilma PT.
 
Juarez Goncalves em 30/01/2012 05:22:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions