A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

15/07/2013 10:07

Governador critica importação de médicos e vê "erro" em programa

Jéssica Benitez
Médico há mais de três décadas, André critica programa do governo federal (Foto: Cleber Gellio)Médico há mais de três décadas, André critica programa do governo federal (Foto: Cleber Gellio)

Criticado por grande parte dos médicos brasileiros, o programa lançado pelo Governo Federal “Mais Médicos”, também não agradou ao governador do Estado, André Puccinelli (PMDB). Ele considera a medida uma "decisão errônea" por parte do Ministério da Saúde. Ele criticou a medida por considerar que o principal problema não é a falta de médicos, mas a falta de condições de trabalho para os profissionais.

O peemedebista concorda que o número de profissionais deve aumentar para dar celeridade no atendimento à população, porém, em sua opinião, não é necessário importar doutores.

O programa, lançado pela presidente Dilma Rousseff (PT) na semana passada, visa trazer 3 mil médicos cubanos para atuar na rede pública de saúde brasileira. Cada profissional terá salário de R$ 10 mil, pagos pelo Governo Federal, e todos não vão precisar fazer a prova de revalidação, fato que gerou muita polêmica. 

“Trazer mais médicos é importante, mas por que não trazer brasileiros? Dando condições a eles? Mato Grosso do Sul tem número superior ao que recomenda a Organização Mundial da Saúde, portanto, tem médicos, precisa é atraí-los com melhor condição de trabalho e mais recursos do governo federal”, disse em entrevista ao programa Tribuna Livre.

Para explicitar seu ponto de vista, o governador citou exemplo de Novo Horizonte do Sul, onde um médico ganha R$ 32 mil, tem condições de diagnosticar o paciente e tratá-lo. O  município, segundo Puccinelli, precisa ter condições de trabalho para o médico, não apenas pagar bons salários. 

Além disso, André considera que profissionais mais próximos como bolivianos e paraguaios, que inclusive já atuam no Brasil sem prova de revalidação, deveriam ser abrigados pelo programa.

“Na verdade é uma série de fatores. A iniciativa foi bem pensada para resolver o problema, só que está errado. O ministro da Saúde (Alexandre Padilha) aconselhou de forma errônea a presidente da República”, disse. Outro ponto negativo do plano apontado por ele é a obrigatoriedade de mais dois anos de atuação na rede pública de saúde para só então formar o médico.

O governador acredita que esta é uma medida para maquiar um problema que seria resolvido com facilidade caso houvesse mais qualidade nos cursos de medicina. “Se fizer curso bem feito com bom estudo e condições de laboratório de análise, anatomia, farmacologia, se der bom condições em 6 anos forma um bom médico” finalizou.

 

Vereadores promovem evento para criticar programa federal "Mais Médicos"
Motivo de longos e acalorados discursos desde a sessão de terça-feira na Câmara Municipal de Campo Grande, o programa “Mais Médicos”, lançado pela pr...
Vereadores devem realizar audiência para debater programa federal "Mais Médicos"
A Câmara Municipal de Campo Grande, por meio da Comissão Permanente de Saúde, presidida pelo vereador Paulo Siufi (PMDB), fará audiência pública para...
Tribunal marca julgamento da apelação de Lula para janeiro de 2018
O Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, marcou para 24 de janeiro de 2018 o julgamento da apelação do ex-presidente ...


Com todo o respeito, se o governador sabe como resolver o problema, por que não o resolve em MS? Falar é fácil...
 
Edimilson Volpe em 15/07/2013 15:56:00
a idéia de trazer médicos de Cuba para trabalhar no Brasil:
em 2006, o PT teria aberto seleção de bolsas para estudar medicina em Cuba exclusivamente para membros do PT, familiares e amigos. Os beneficiários com essas bolsas supostamente já se formaram no ano passado, querem voltar ao Brasil e não conseguiram ser aprovados no exame Revalida. A importação de médicos cubanos, com licença automática para trabalhar no Brasil sem prova de revalidação do diploma, teria sido a saída encontrada.
 
Marines Soares em 15/07/2013 15:51:15

Nao esperava outra posicao do governador se MS, depois do que foi revelado pelos meios decomunicacao sobre sua politica de ganhar dinheiro efetivada pela pessoa de sua confianca ao longo dos anos que ocupou o executivo. Por ele nao existeria politicas de inclusao.
 
Joana Silva em 15/07/2013 14:38:53
As pessoas pra comentar tem que conhecer do assunto senão fala bobagens como alguns aqui , o que o PT quer é trazer esse médicos cubanos por 3 anos pra se reeleger a presidente e os prefeitos do PT e aliados , é exatamente o tempo que durará o contrato, pois esses médicos irão para as regiões nordeste e norte e ficarão à mercê dos prefeitos para fazerem politicagem, se realmente o governo quisesse resolver equiparia os hospitais, PS, faria concurso publico com carga horária para médicos com salário bom.
 
ivan garcia em 15/07/2013 14:20:43
A CLASSE MÉDICA CADA VEZ QUE FAZ UM PRONUNCIAMENTO POR UM DE SEUS REPRESENTANTES, EXPÔE SEU CORPORATIVISMO, ESSE CLASSE ESTA SENDO ODIADA PELO POVO E COM RAZÃO!!
ELES SÃO CONTRA VINDA DE MÉDICOS DE OUTROS PAÍSES PORQUE NÃO QUEREM CONCORRENCIA, QUEM JÁ PRECISOU SER TRATADO EM POSTO DE SAÚDE SABE
QUE A VINDA DESSES MÉDICOS É NECESSÁRIA!!
 
Rúbio Ramos em 15/07/2013 14:19:16
Único governador que fez contratualização, ou seja, passa dinheiro as cidades que tem a saúde plena, sem a lei obrigar e são estas as cidades plenas; Campo Grande, COrumbá, Aquidauna, Dourados, Tr~es Lagoas, Ponta Porã, mesmo assim, o Governo do Estado colabora com essas Cidades, coisa que o Zeca do Pt o "humanitário" somente nas conversas, Nunca fez.
 
joão afonso em 15/07/2013 14:13:22
Como alguns campo-grandenses gostam de fazerem críticas, especialmente do nosso governador, se ele apoia um projeto, vem criticas, se ele não aprova, mais criticas. Porque em lugar de falarem mal não dão sugestões para melhorar?
Parabéns Governador Dr. André, eu o admiro e sei que como todo ser humano, está propenso a erros e acertos e peço a Deus que consiga acertar mais. Um abraço.

 
Ana Maria gomes em 15/07/2013 13:14:25
Concordo com o Ministério da Saúde, os médicos brasileiros são caros e, eles não trabalham, só pensam em ganhar dinheiro e mais nada, os cubanos serão mais baratos e com certeza mais competentes e mais trabalhadores.
 
Jorge Amorim em 15/07/2013 11:54:14
Caro José de Abreu,

Fico triste em ler opiniões como a sua. Saiba que o programa do Governo Federal é a consolidação da lastimável " medicina para os pobres"....
Acha que terão qualidade de atendimento? Acha que você não merece uma medicina atualizada, resolutiva e humanizada?
E sobre os dois anos obrigatórios de SUS para os recém formados e inexperientes médicos, acha que eles estão prontos logo após a formatura? Os médicos são treinados em serviço com supervisão de um preceptor em uma fase essencial chamada de RESIDÊNCIA MÉDICA. Ficará satisfeito em receber atendimento por um médico inexperiente, sem residência médica e sem nenhuma supervisão? Acha que os médicos serão "humanizados" no SUS, em um ambiente hostil, nervoso, repleto de pacientes dormindo em cadeiras ou no chão? Abraço...
 
Leandro Finotti em 15/07/2013 11:37:59
Não se poderia esperar outro posicionamento do Governador. Primeiro por que ele é médico. Segundo por que a saúde nunca foi prioridade de seus governos, tanto na prefeitura quanto no Estado.
Os municípios do interior do estado sofrem muito com a falta de médicos, esse programa, ao contrário do que diz o governador pode, sim, ajudar neste problema.
 
Paulo Junges em 15/07/2013 11:32:02
concordo, acredito que trazer médicos "cubanos" não resolverá nossos problemas, precisamos melhor nossos cursos de medicina mesmo, urgente, muitas universidades e pouca qualidade, e precisamos também criar mecanismos para que nossos queridos médicos mudem de postura, passem a respeitar mais seus pacientes, ajam com mais seriedade, cumpram seus horários de trabalho, insatisfeitos com a remuneração então saiam do serviço público e deixem a vaga para quem realmente quer exercer a medicina com dignidade, cobram tanto do professor, e os médicos........
 
clara marins em 15/07/2013 11:11:57
Descordo veementemente do Governador. O que esta em discussão pelos médicos e reserva de mercado. Alguém esta ganhando muito com a falta de médicos no interior e não são os pacientes. Pode não ser a medida perfeita, mas e uma boa iniciativa que precisa de ajustes. quanto ao fato do estudante de medicina cumprir mais dois anos no SUS, e louvável, pois 90% dos estudantes de medicina das universidades publicas e oriundo da rede particular de ensino médio, de famílias de classe media alta e que portanto, por não terem pago um só real para custear diretamente seus estudos com mensalidades, devem sim dar um retorno a sociedade, pois abrir clinicas particulares e bem privado.
 
jose de abreu em 15/07/2013 10:56:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions