ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 25º

Política

Governador destaca harmonia entre os poderes para o desenvolvimento de MS

Além da parceria com deputados, governador afirmou que reformas foram essenciais para Estado não sucumbir

Por Jhefferson Gamarra e Gabriela Couto | 25/11/2021 12:53
Governador Reinaldo Azambuja em evento das assembleias legislativas de todo o Brasil. (Foto: Kísie Ainoã)
Governador Reinaldo Azambuja em evento das assembleias legislativas de todo o Brasil. (Foto: Kísie Ainoã)

Durante o evento da Unale (União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais), que teve continuidade na manhã desta quinta-feira (25), em Campo Grande. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) destacou a parceria entre o poder Executivo e Legislativo, que fez o Estado seguir nos trilhos do desenvolvimento.

“Sem diálogo não se faz política pública, e a harmonia entre os poderes foram fundamentais para o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul. Quando o Executivo e Legislativo sentam à mesa e buscam soluções, quem ganha com isso é a população”, afirmou Azambuja.

Sobre a participação no evento que reúne representantes de assembleias legislativas de todo ao País, o governador ressaltou que busca a troca de experiências e iniciativas de outros estados que podem ser “copiadas” e colocadas em prática em Mato Grosso do Sul. “Essa troca de experiências é fundamental, existem boas práticas em vários estados que servem para Mato Grosso do Sul e não precisamos ter vergonha de copiar o que dá certo, só não podemos copiar o que está errado”.

Como exemplo de gestão, Reinaldo frisou que desde 2014, foram realizadas reformas administrativas profundas, muitas vezes amargas, que foram necessárias para o Estado não sucumbir. Além disso, desde o inicio do governo, diminuiu para 9 o número de secretarias e todos os titulares tiveram que assinar um contrato com metas a serem cumpridas. Das metas impostas, segundo o governador adiantou, 80% do plano está em dia.

“O maior desafio é manter os avanços da política do Estado. Não se faz mágica, se não votar as reformas tributárias. Graças ao trabalho de fazer menos com mais, parcerias publicas privadas, concessões e privatizações e a parceria com assembleia, o Estado não sucumbiu e ainda foi possível anunciar o pacote de investimento do retomada MS”, finalizou o Reinaldo.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário