A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

15/10/2012 08:59

Governador se reúne com trabalhadores da Educação nesta 2ª

Fabiano Arruda e Paula Vitorino
O governador André Puccineli reunidos com dirigentes da FetemsO governador André Puccineli reunidos com dirigentes da Fetems

O governador André Puccinelli (PMDB) e integrantes da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) estão reunidos nesta manhã, na Governadoria, para retomar reivindicações da categoria, interrompida desde o mês de abril.  

O presidente da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), professor Roberto Leão, também participará da reunião nesta segunda, Dia do Professor.

Os participantes só devem se manifestar após o encontro, que ocorre a portas fechadas.

Segundo o presidente da Fetems, Roberto Magno Botareli, a iniciativa partiu do governador. Ele classificou a reunião como importante. Para a próxima quinta-feira, a categoria prepara um ato público que irá acontecer independente do desfecho apresentado hoje, explica.

O ato vai contra os seis estados, entre eles, Mato Grosso do Sul, responsáveis pela Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) de número 4848, no STF (Supremo Tribunal Federal), que pede a queda do artigo 5º da “Lei do Piso Salarial Nacional”, que concede reajuste aos profissionais conforme o custo-aluno.

A pauta tem na Adin, no pleito pela unificação da carreira, no pedido de cumprimento do 1/3 de hora atividade para o planejamento de aulas nas escolas estaduais e na realização de concurso público para professores e administrativos, as principais reivindicações da categoria junto ao governador.

Sobre a Adin, a classe vai pedir que Puccinelli faça um manifesto ao STF pelo desinteresse do julgamento da ação, que ainda não foi distribuída no Supremo, mas pode voltar à pauta após a análise do Mensalão.

Ainda segundo Botareli, o ato agendado para quinta-feira deve reunir 20 mil pessoas em Campo Grande, contando com participantes de pelo menos outros três estados.

A mesma manifestação já ocorreu no Rio Grande do Sul e, após a Capital, ainda será realizada em Santa Catarina, Goiás, Roraima e Piauí.

Para o presidente da Fetems, caso as negociações com o Governo do Estado “emperrem de vez”, há a possibilidade de não iniciar o ano letivo no ano que vem, no entanto, a hipótese é considerada a última alternativa no processo.

Governador aguarda pedido oficial para se reunir com a Fetems em julho
O governador André Puccinelli (PMDB) disse na noite dessa quinta-feira (31) que vai aguardar o envio para a governadoria de um ofício da Fetems solic...
Governo e Fetems iniciam conversas sobre política salarial para os próximos 3 anos
Plano de Cargos e Carreira da educação básica começa a ser discutido na próxima semanaO presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educaçã...
Só 11 municípios de MS cumprem piso salarial dos professores, diz Fetems
Dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul apenas 11 cumprem integralmente o ranking salarial dos professores que atuam na rede municipal e estadual. A ...
Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions