A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

06/07/2017 10:00

Governo diz que pode dar “de R$ 60 a R$ 80 milhões” para obras na Capital

Vereadores foram à governadoria pedir verba para contrapartida

Mayara Bueno e Yarima Mecchi
Governador Reinaldo Azambuja, no centro, com vereadores da Capital. (Foto: Yarima Mecchi).Governador Reinaldo Azambuja, no centro, com vereadores da Capital. (Foto: Yarima Mecchi).

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), disse que o Estado tem condição de dar de R$ 60 a R$ 80 milhões para a Prefeitura de Campo Grande utilizar como contrapartida em diversas obras.

Nesta quinta-feira (6), um grupo de vereadores entregou uma lista de 21 empreendimentos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), que, somado com os recursos que o município precisa dar, somam R$ 400 milhões.

"Ainda não temos o montante, mas seria cerca de R$60 a R$ 80 milhões de investimentos do governo do Estado", disse Reinaldo. O governo, no entanto, pediu 15 dias para analisar a solicitação e definir quais obras e quanto em dinheiro de fato pode contribuir. 

“O governador (Reinaldo Azambuja) fez um pacto de avaliar com carinho o pedido deles, que entende a importância dos convênios entre os governo estadual e municipal”, disse Rocha. A intenção, ao entregar a relação, é conseguir a contrapartida que a Prefeitura de Campo Grande precisaria dar em obras que receberam recursos federais.

O presidente citou apenas Ceinfs (Centro de Educação Infantil), de infraestrutura e pavimentação. Ao todo, os parlamentares pleiteiam verbas para 21 obras.

Entre os obras de pavimentação constam na lista: Jardim Seminário, Mato do Jacinto, Sírio Libanês, Vila Nasser. Além disso, projetos de infraestrutura no Anhanduí e do Córrego Bálsamo.

Votação – Paralelo ao pedido ao governo, serão votados hoje projetos que pedem empréstimo de R$ 34 milhões. R$ 20 milhões é referente a um recurso internacional para modernização do sistema de cobrança de impostos da prefeitura.

O restante é verba da CEF (Caixa Econômica Federal) para o município aplicar em obras federais, como forma de contrapartida.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions