A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

13/11/2015 14:08

Governo instaura procedimento e pode afastar engenheiros envolvidos em desvio

Michel Faustino e Leonardo Rocha

O secretário de Estado de Infraestrutura e diretor-presidente da Agesul (Agencia Estadual de Gestão de Empreendimentos), Ednei Marcelo Miglioli, disse durante a manhã de hoje (13), durante o lançamento do polo do Programa Rede Solidária, no Bairro Dom Antônio Barbosa, que um procedimento disciplinar já foi instaurado para analisar o afastamento dos engenheiros Maxwell Thomé Gomez e Átila Garcia Gomes Tiago de Souza de seus cargos. Ambos ocupam cargos de chefia na Agesul nos municípios de Coxim e Rio Negro, respectivamente.

Os dois foram presos temporariamente na Operação Lama Asfáltica, acusados de envolvimento no esquema milionário que causou prejuízos de R$ 2.962.136,00 aos cofres públicos, em razão do pagamento de obras não executadas em estradas estaduais.

De acordo com o secretário, o Governo do Estado está agindo com muita cautela frente às denúncias envolvendo servidores seguindo as orientações da PGE (Procuradoria Geral do Estadual) e o procedimento já está em fase de conclusão.

“Estamos fazendo tudo de forma minuciosa e não vamos atropelar os procedimentos em função da questão criminal, iremos seguir os tramites legais”, revelou Miglioli.

Conforme o relatório do MPE,  os engenheiros Maxwell Thomé Gomez e Átila Garcia Tiago de Souza, foram designados pela ex-presidente da Agesul, Maria Wilma Casanova Rosa, para aferirem a obra da MS-228 executada pela empresa Proteco, de João Amorim, onde foi constada irregularidade no revestimento primário numa extensão de 42 quilômetros, totalizando um prejuízo de R$2,9 milhões. Eles teriam atestado de forma fraudulenta a execução do serviço, que não foi feito integralmente.  Os dois foram ouvidos pelo MPE na quarta-feira (11).

Prisões -  Foram presos o ex-secretário executivo do Ministério dos Transportes, ex-secretário estadual de Obras e ex-deputado federal Edson Giroto, a ex-presidente da Agesul, Maria Wilma Casanova Rosa, o empresário João Amorim, a sócio dele na Proteco, Elza Cristina Araújo dos Santos, os engenheiros Átila Garcia Gomes Tiago de Souza, Maxwell ThoméGomez, Rômulo Tadeu Menossi, diretor da construtora Proteco, e o ex-deputado estadual Wilson Roberto Mariano de Oliveira, o Beto Mariano.

PMDB retoma processo para mudar nome e voltar a se chamar MDB
A direção do PMDB retomou um processo interno para mudar o nome da legenda para MDB (Movimento Democrático Brasileiro), abandonando a denominação de ...
Reinaldo diz que corte de gastos do Governo Federal é preocupante
O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), admitiu, nesta quarta-feira, 16, preocupação sobre os reflexos do pacote de medidas do ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions