A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

12/02/2018 10:06

Impasse entre chapas suspende eleição do Conselho de Odontologia

Chapa da oposição conseguiu liminar na Justiça para poder participar do pleito

Leonardo Rocha
Suspensão de eleição gera impasse entre chapas na sede do CRO-MS (Foto: Divulgação)Suspensão de eleição gera impasse entre chapas na sede do CRO-MS (Foto: Divulgação)

A direção do CRO-MS (Conselho Estadual de Odontologia) suspendeu hoje (12), durante a manhã (12), a eleição para "delegado-eleitor", que representaria o Estado em votações no CRF (Conselho Federal de Odontologia). A decisão gerou impasse e reclamações da chapa de oposição, que tinha conseguido uma liminar na Justiça, para participar do pleito.

O impasse começou durante as inscrições da chapa, já que a liderada por Cauê Marques e Wilson Belianta, foi impugnada, por haver integrantes inadimplentes com a instituição. Eles acionaram a Justiça e conseguiram uma liminar para participar do pleito, deferida pelo juiz federal Pedro Pereira dos Santos.

No começo da manhã, eles levaram a liminar até o local da eleição, para participarem da assembleia, no entanto o presidente do CRO-MS, João Wilson Capdeville, suspendeu a eleição, alegando que com outra chapa inscrita, era necessário nova data para expedição de cédulas e atualização do sistema.

De acordo com a assessoria da entidade, em função desta decisão judicial, vai ser cumprido todo o procedimento legal, com divulgação em diário oficial da nova data, já que houve mudanças entre os concorrentes. A princípio só estava inscrita a chapa formada por Silvana Silvestre e Maisa Okama.

Reclamação - Os integrantes da chapa de oposição reclamaram da decisão do presidente, alegando que com uma liminar expedida, a eleição deveria ocorrer hoje e não em outra data. "Ordem judicial se cumpre e depois recorre da decisão, vamos informar ao juiz sobre o que ocorreu, para pedir as devidas providências", disse Alexandre Chadid, advogado da chapa.

Cauê Marques, que lidera o grupo de oposição, também alegou que haveria condições para se ter a eleição, não sendo necessário confecção de cédulas ou atualização de sistema. "Estávamos com um grupo de 80 pessoas ao nosso lado, e poderíamos vencer o pleito, mas a eleição sequer foi aberta".

Veja o vídeo abaixo:

Chapa de oposição apresentou liminar para participar da eleição (Foto: Leonardo RochaChapa de oposição apresentou liminar para participar da eleição (Foto: Leonardo Rocha


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions