A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

12/07/2011 20:03

Juiz proíbe "paquera" na pracinha de Itaporã

Paulo Fernandes
O juiz de Direito e diretor do Foro de Itaporã, Adriano da Rosa Bastos, justificou ser dever do Poder Judiciário manter a ordem pública e dar tranquilidade à sociedade (Foto: divulgação)O juiz de Direito e diretor do Foro de Itaporã, Adriano da Rosa Bastos, justificou ser dever do Poder Judiciário manter a ordem pública e dar tranquilidade à sociedade (Foto: divulgação)

Por meio de uma portaria (34/2011) assinada nesta terça-feira, o juiz de Direito e diretor do Foro de Itaporã, Adriano da Rosa Bastos, proibiu a "paquera" nos finais de semana na praça central da cidade, localizada a 227 km de Campo Grande.

No despacho, o magistrado explica que a paquera deve ser entendida “como toda forma de aglomeração de adolescentes e adultos munidos de bebidas alcoólicas e fazendo uso de aparelhos de som em alto volume”, como acontece ao fins de semana na praça da cidade.

O juiz autorizou a Polícia Militar a realizar apreensão de quem descumprir a norma e determinou ainda o policiamento ostensivo.

Foram comunicadas da decisão Ministério Público, Polícias Militar e Civil e Secretaria Municipal de Esporte e Lazer.

Em sua decisão, Adriano da Rosa Bastos justifica que é dever do Poder Judiciário manter a ordem pública e dar tranquilidade à sociedade quando se vê diante de situações que coloquem risco à segurança.

Recentemente, segundo ele, casos de violência e até assassinato foram registrados nas noites de “paquera” na praça central.



Quem sabe !!! as vezes dao valor a algumas coisas pequenas e deixam as grandes para o lado; do começo dos anos 90 a paquera,som alto e bebida sempre tiverao na juventude, mas no que atrapalha isso, so se estao usando drogas no local ou fazendo rachas no local. A nossa justiça teria que se preocupar mais com outros problemas que paquera e som alto. Jovens andando armados, trafico de drogas assasinatos etc...
Vossa Exelencia de mais valor em outros delitos .
 
Marcos Alexandre em 14/07/2011 12:59:51
Parabéns Srº Juiz
O povo DE BEM da comarca de Itaporã entende seu esforço e apóia sua medida.


 
robson candelorio em 14/07/2011 12:57:34
enquanto isso na republica das bananas se pode de tudo, mas poder para o poder!!! massacre aos honestos e trabalhadores... so nao sei ate quando o povo vai aguentar!
vida longa!!!
 
nacionalista em 14/07/2011 12:24:00
Onde está escrito na constituição que aglomeração de pessoas em praça pública é crime? Até passeata gay e a favor da maconha os juizes federais autorizaram. Se os representantes públicos se dedicassem a cumprir com as suas obrigações legais, já estariam fazendo um bom trabalho.
 
MARCO COSTA em 14/07/2011 10:04:04
Quando jovem nunca gostei desses programas que em todo bairro tem, mas tb não dá o direito de resolver desta forma, este é o dirvertimento deles de final de semana, pra ser mais direta, Sr. Juiz existe policial pra que? Se estiver policiais no local vai inibir quem vai para bagunçar e os que forem para se divertir vão se sentir mais seguros, não se resolve as coisas na porrada, ainda mais o senhor.
 
Adriana Aredes em 14/07/2011 10:02:49
Mandou bem em JUIZÃO....Parabens.......
 
Rosangela Carvalho em 14/07/2011 09:09:44
Vixi. Quer conhecer uma pessoa? Dê poder a ela.
 
Bruno Nodes em 14/07/2011 08:31:51
O Juiz tem que se preocupar com tudo mesmo (som alto, prostituição), não existe coisa mais importante que a outra, então daqui uns dias vamos só almoçar, pois almoçar é mais importante que jantar e tomar café da manhã, ou então vamos só trabalhar, pois trabalhar é mais importante que lazer
 
Jorge Luiz Antônio em 14/07/2011 03:04:51
tem q acabar mesmo, seria bom se acabasse em toda regiao, nestas paquerqs nao acontece nada de bom so prostituicao e uso de dragas. os traficantes de itapora vao perder. parabens juizo.
 
adriano souza em 14/07/2011 02:34:30
CONCORDO COM O JUIZ. É MELHOR PROIBIR ESSES JOVENS QUE ENCHEM A CARA, BRIGAM E SE MATAM; COM SOM ALTO ATRAPALHANDO O SOSSEGO DE QUEM TRABALHA NO DIA SEGUINTE.
NESSES LUGARES ROLAM DE TUDO, ROLA DROGA, SEXO, BEBIDAS E MENINAS DE MENOR SE PROSTITUINDO. TEM QUE PROIBIR MESMO. QUEM SABE CRIAM JOVENS DECENTES PARA A NOSSA SOCIEDADE.
ESTA DE PARABENS O JUIZ.
 
Antonela Vilalba em 13/07/2011 12:41:42
isso é um absurdo imagina. minha mãe não deixa eu namorar em casa e eu fico na praça, agora vai querer proibir minha liberdade? muita falta de sensatez isso!
 
Fabio Fidelis em 13/07/2011 11:31:34
Lamentável a decisão desse Juiz, extrapolando em suas decisões, o Conselho Nacional de Justiça tem que ficar atento a essas arbitrariedades.
 
Pedro José da Silva em 13/07/2011 10:54:29
Ele ta pensando que é Deus, tem que se manter a ordem usando os meios disponíveis que temos, como por exemplo: policiamento. não proibindo o direito constitucional que temos de ir e vir. Fazemos o seguinte vamos pedir a opinião popular pra ver.....vamos votar pessoal, o que voces acham dessa ordem???
 
valmir nogueira em 13/07/2011 10:48:40
Concordo plenamente com os comentarios acerca de que existem assuntos mais importantes para se decidir como por exemplo, existe uma criança de quatro ou cinco meses sob a guarda do conselho tutelar de Itaporã aguardando o parecer do Sr. Juiz para que seja concebida a guarda a algum casal habilitado no cadastro nacional de adoção. Pois bem, existe um casal que esta habilitado, quer adotar a criança, porem é de Campo Grande e o Sr. Juiz emitiu parecer alegando que como o casal não reside na comarca não pode adotá-lo. Hora, mas o cadastro não é nacional? E tem mais, não existe ninguém da comarca interessado na criança. Vale ressaltar que essa criança esta há quase meio ano aos cuidados do conselho tutelar sem um lar de verdade. Senhor juiz, vamos empregar de forma decente os preceitos da lei em questões realmente importantes para os cidadãos desta querida cidade. E a criança continua lá....aguardando o seu destino que depende do Sr. Juiz Adriano da Rosa Bastos.
 
Cleiton Silva em 13/07/2011 10:48:19
Concordo com o Juiz em numero, genero e grau. Bagunça tem que ter limite. A juventude de hoje esta extrapolando seus direitos. O Direito coletivo deve estar acima do individual. Parabéns ao Juiz de Itaporã . Os brasileiros estão precisando de autoridades de pulso firme porque senão esse pais vira uma baderna o que na verdade já é! Queremos mais juizes como esses. parabéns pela iniciativa Sr. Juiz de Direito.
 
Silvia Helena em 13/07/2011 10:17:07
PARABÉNS, AO MAGISTRADO, A ITAPORÃ, POR TER UM CIDADÃO DO JUDICIÁRIO, QUE SÃO AS AUTORIDADES MÁXIMAS DOS MUNICÍPIOS, A SOCIEDADE TEM QUE ENTENDER, QUE O JUIZ É PROFUNDO CONHECEDOR DAS LEIS, É PAI, É DEUS, É ORIENTADOR, DE TODOS DO PEQUENO MUNÍCIPE AO PREFEITO DA CIDADE, E TODOS TERÃO QUE OBEDECER AS LEIS VIGENTES, QUEM QUISER CONTESTAR COM O JUIZ ESTA CONTESTANDO COM DEUS, QUIDERA SE TODOS OS MUNICÍPIOS TIVESSEM JUÍZES INTERESSADOS EM CORRIGIR, DOS MENORES AOS PREFEITOS DE TODAS AS CIDADES BRASILEIRAS, O BRASIL SERIA UM PAÍS, DIFERENTE, MORALISTA, HIERÁRQUICO, E ABENÇOADO, QUE DEUS ABENÇOE ITAPORÃ, SE O JUÍZ ESTA FAZENDO ISSO, É PORQUE É UMA OBRIGAÇÃO DA SOCIEDADE A CUMPRIR.
 
PEDRO BRAGA em 13/07/2011 10:14:45
Agora os juízes deram para fazer lei, papel este do legislativo (câmara Municipal), a portaria alem de inconstitucional, fere os princípios da democracia.
Quer por ordem na casa? Ponha policiamento, exija que se cumpra a lei do silêncio.
Esta forma do Brasil legislar é anti democrático, inconstitucional e uma vergonha par o povo brasileiro, não tem politico que resolva o problema através de criação de leis? E ainda querem aumentar o numero de vagas para vereadores. Boris Casoy é que tem razão. ISTO É UMA VERGONHA.
Com a palavra a OAB. (com todo direito a resposta).
 
Roberto Motta em 13/07/2011 09:57:33
Por maior que seja a boa vontade do Juiz, ele criou uma norma penal, de competência apenas do Congresso Nacional...ele esta usurpando suas funções.
Sob o argumento de que "é dever do Judiciário manter a ordem Pública", devo lembrá-los que a Jurisdição deve ser provocada, ou seja, o juiz não pode agir de ofício, para além das situações que lhe são postas e fora dos limites dos processos e dos pedidos.
Além do mais, a "Portaria" serve apenas para regulamentar o cartório da Vara que ele atua.
OAB e Corregedoria do TJMS...atenção lá em Itaporã!
 
Carlos Henrique em 13/07/2011 09:10:33
O Juiz não proibiu a paquera, ate pq seria absurdo e impossível. O que foi proibido é um evento público denominado de paquera. O ECA autoriza a medida adotada. O resto, é sensacionalismo da imprensa q inclusive teve repercussão nacional (uol).
 
Alessandro Rodrigues em 13/07/2011 08:31:00
To sentindo que o juiz não teve uma adolescência bacana, deve ter sofrido Bullying e agora quer fazer todos os jovens de Itaporã pagarem na mesma moeda. Parabéns sr. juiz, tanta coisa para se fazer e o sr. proibindo diversões em praça pública. hahahaha só no BRASIL mesmo!
 
Moacyr Neto em 13/07/2011 08:17:46
Não é´por ai senhor Magistrado, acho que o senhor estrapolou proibindo as paqueras aos finais de semana em uma praça que é publica, o direito do cidadão de ir e vir e permanecer é amparado pela CF de 1988. com essa decisão acho que voltamos ao tempo de olho por olho dente por dente.(Èra Medieval) (COMUNISMO) etc.... Se existe um crime durante esse evento é lógico que tem que ser apurado mas de uma forma legalista e não fugindo do nosso sistema de combater a criminalidade.
 
amilton almeida em 13/07/2011 07:43:56
ué , juiz agora virou prefeito, ou seja, até onde sei as esferas do poder são independentes, o judiciario não pode intervir no executivo nem no legislativo!


mais facil ele tentar a eleição né!
ou eu to falando bobagem?
 
fabio mano em 13/07/2011 07:26:05
Cresci frequentando a paquera no Calcadão de Itaporã e nunca coloquei uma gota de álcool na boca, pois sempre tive uma família que me educou e ensinou o que é certo e errado. Beber na praça, em casa, ou em qualquer lugar não faz diferença alguma. Tantas outras coisas mais importantes para fazer em Itaporã. Agora o que a população vai fazer aos sábados e domingo a noite? Se esquece tb que mtas famílias partilham da paquera, o comercio depende.
 
Alexandre Gonçalves em 13/07/2011 06:49:00
Até que enfim um ato de firmeza do judiciário, quem dera toda pequena cidade do MS tivesse um juiz desse Nype!!!! duvido que algum "vereador" iria questionar um decisão como essa????
 
kaio tiberio em 13/07/2011 05:27:41
Ô Judiação.....quanto perda de tempo para proibir uma coisa que não se pode proibir, e acabar sendo anulada por uma esfera superior a desse Juiz, uma vez que fere a constituição brasileira. Não seria melhor propor uma blitz? Com certeza as pessoas do bem poderiam continuar se divertindo. A não ser que haja motivos pessoais envolvidos na estória...
 
Edson Freitas em 13/07/2011 03:46:55
Depende! Que tipo de namoro ele quer proibir?! Se for do tipo depravado, tem mais é que proibir mesmo... a praça é pública, mas sexo, depravação tem que ter lugar mais adequado.
 
Ana Cristina Ferreira em 13/07/2011 02:22:39
De certo mod é até compreennsível tal atitude, mas acredito que não é solução para os problemas...
Que tal as autoridades responsáveis começarem a agir de forma mais eficiente criando, por exemplo, outros ambientes, locais, meios de diversão parra sua população, sobretudo para os jovens? Não podemos negar que na maior parte das cidades do interior não há OPÇÃO de lazer e entreternimento pra população!!!!
#ficaadica
 
Flávia laís em 13/07/2011 02:07:30
Ultimamente os juízes, policiais, estão querendo mandar demais nas pessoas, acham que tem todo esse direito. Esse juíz teve uma adolescência conturbada, só pode ser.
 
Guilherme Nantes em 13/07/2011 01:35:55
Se todos os Juizes pensassem e agissem como o Dr Adriano, o Brasil seria muito melhor. Pois essas baladas ao ar livre é um desrespeito aos direitos do cidadão de bem.
 
Ivo Alves em 13/07/2011 01:07:19
Apoiado. As liberdades individuais jamais devem sobrepujar a coletiva.
 
Marcio Fernando em 12/07/2011 08:50:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions