ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  01    CAMPO GRANDE 20º

Política

LDO prevê crescimento de 6,45% e orçamento será de R$ 13,9 bi em 2016

Por Leonardo Rocha | 03/07/2015 10:37
Governador Reinaldo Azambuja enviou projeto da LDO que prevê receita de R$ 13,9 bilhões para 2016 (Foto: Marcos Ermínio)
Governador Reinaldo Azambuja enviou projeto da LDO que prevê receita de R$ 13,9 bilhões para 2016 (Foto: Marcos Ermínio)

O Governo estadual enviou para Assembleia Legislativa o projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) com a previsão de arrecadação de R$ 13,9 bilhões em 2016. Os deputados vão avaliar e até sugerir emendas ao projeto, que precisa ser votado antes do recesso parlamentar deste semestre.

Em relação ao Orçamento deste ano, que foi de R$ 13.057.110,00, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) prevê crescimento de 6,45% no segundo ano de gestão. A LDO deste ano foi definida pela administração anterior, de André Puccinelli (PMDB).

O assessor jurídico da administração estadual, Felipe Matos, ressaltou que o projeto foi enviado no final do dia de ontem (02) e que a proposta deve ser analisada pelos deputados na próxima semana, deixando a sua votação para última semana antes do recesso parlamentar.

“O projeto foi enviado dentro do prazo, como havíamos combinando antes com o legislativo, o presidente (Junior Mochi) ressaltou que já está tudo organizado as datas para sua votação”, disse ele.

Junior Mochi confirmou o valor estimada da receita. “Vamos analisar a proposta nas comissões e no plenário, com tempo suficiente e tranquilo, para votarmos na última semana antes do recesso”, ponderou o peemedebista.

O projeto da LDO tem como principal finalidade orientar o governo na elaboração dos orçamentos fiscais, assim como investimentos do poder público, buscando sempre sintonia com a LOA (Lei Orçamentária Anual), que é apresentada pelo poder executivo no final do ano. Neste projeto irá compreender metas e prioridades da administração pública, assim como possíveis alterações na legislação tributária e outras políticas públicas.

Nos siga no Google Notícias