A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

24/08/2010 11:35

Lei eleitoral barra políticos em inaugurações de Lula

Redação

O veto à presença de candidatos em inaugurações de obras públicas, imposto pela legislação eleitoral, esvaziou politicamente os eventos que trouxeram o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Mato Grosso do Sul nesta terça-feira.

Nem o governador André Puccinelli nem o ex-governador Zeca do PT, aliado histórico de Lula, puderam participar das solenidades, em Dourados e em Campo Grande.

Em Dourados, Zeca chegou a receber Lula no Aeroporto, mas ficou longe do palanque de inauguração da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), instituição criada durante sua administração.

Outros políticos também foram a Dourados receber Lula, mas não foram à inauguração. Estiveram no aeroporto os dois candidatos ao Senado na coligação de Zeca do PT, o senador Delcídio do Amaral, e o deputado federal Dagoberto Nogueira.

Na solenidade na UFGD, diferente de ocasiões anteriores, havia poucos políticos. Só estavam presentes o prefeito de Dourados, Ari Artuzi (PDT), e o senador Valter Pereira (PMDB), coordenador da campanha de Dilma Roussef no Estado, que não é candidato. Também havia vereadores locais, que não estão disputando as eleições.

Em Campo Grande, as solenidades de inauguração com a presença de Lula só deverão ter a presença do prefeito, Nelson Trad Filho (PMDB), e de vereadores que não são candidatos. Entre os deputados estaduais e federais, poucos podem, pois a maioria é candidata.

O governador André Puccinelli deverá apenas receber Lula no Aeroporto Internacional de Campo Grande.

Campanha - Após a inauguração das obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), Lula ficara voltado a compromissos políticos.

Ele deve se reunir com Zeca do PT e juntos recepcionarem Dilma Roussef para, à noite, participar do comício da coligação liderada pelo PT, na avenida Fernando Correa da Costa.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions