A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Dezembro de 2018

07/04/2018 18:02

Lula deixa sindicato dos metalúrgicos e se entrega à Polícia Federal

Ex-presidente será encaminhado a Curitiba, onde ficará em sala especial.

Ricardo Campos Jr.
Lula saindo do sindicato cercado por militantes. (Foto: Reprodução) Lula saindo do sindicato cercado por militantes. (Foto: Reprodução)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se entregou à polícia neste sábado (7) para dar cumprimento ao mandado de prisão expedido pelo juiz Sérgio Moro. Ele está a caminho do IML (Instituto Médico Legal), onde passará por exame corpo de delito e então deverá ser encaminhado à Curitiba, onde ficará detido em uma sala especial na sede da PF (Polícia Federal).

A decisão  de Moro foi tomada na quinta-feira (5). O líder petista foi até a sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, onde dormiu nos dois dias seguintes. Na manhã deste sábado ele participou de um evento em memória à falecida esposa Marisa Letícia e depois fez um discurso em que reafirmou a sua inocência às centenas de pessoas presentes.

“Eu não tenho medo deles, eu até já falei que gostaria de fazer um debate com Moro sobre a denúncia que ele fez contra mim, gostaria que ele me mostrasse alguma prova. Qual o crime que cometi neste país? E eu as vezes, eu tenho a impressão porque sou um construtor de sonhos, eu há muito tempo atrás eu sonhei que era possível governar esse pais envolvendo milhões de pessoas pobres, vagas nas universidades, empregos”, disse.

Lula afirmou ainda que se entregaria por não ter medo. “Eu não estou acima da Justiça, se eu não acreditasse da justiça, eu não teria feito um partido político, teria proposto revolução, acredito na Justiça, mas na a Justiça justa, baseada nas acusações, na prova concreta”, afirmou.

Ao lado do ex-presidente estavam a ex-presidente Dilma Rousseff, o ex-ministro das Relações Exteriores Celso Amorim, o líder do MTST Guilherme Boulos, a deputada Manuela D’Ávila (PCdoB), a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, Aloizio Mercadante, o senador Lindberg Farias, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, o vereador Eduardo Suplicy, entre outros.

Lula tentou ir por conta própria para a Polícia Federal, mas foi impedido pelos próprios petistas. Ele então conseguiu entrar em outro veículo, que depois passou a ser escoltado pela PF.

Trâmite – O juiz federal Sérgio Moro decretou a prisão de Lula e deu prazo para que ele se apresentasse até às 17h desta sexta-feira (horário do Paraná) na PF (Polícia Federal de Curitiba).

A oportunidade de apresentação voluntária é “em atenção à dignidade” do cargo que ocupou. Foi proibida a utilização de algemas.

A ordem de prisão foi expedida depois que o TRF4 confirmou a decisão que Moro deu em julho do ano passado e condenou Lula por ter um apartamento triplex no Guarujá (SP)como pagamento de propina. A Corte decretou pena para 12 anos e um mês para o ex-presidente.

Na quarta-feira (dia 4), com placar de 6 a 5, o Supremo negou habeas corpus, permitindo a prisão após a condenação em segundo grau.

Lula desde quinta-feira (5) está no sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo (SP). Nesta manhã ele participa de ato ecumênico em homenagem à Marisa Letícia, que faria 68 anos neste sábado.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions