A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

23/07/2013 13:57

Mais uma vez oitiva é marcada por "clima quente" entre vereadores

Jéssica Benitez
Desde criação da CPI Marcos Alex e Elizeu trocam farpas (Foto: Cleber Gellio)Desde criação da CPI Marcos Alex e Elizeu trocam farpas (Foto: Cleber Gellio)

Mais uma vez a oitiva da CPI do Calote terminou com “clima quente” entre os integrantes da comissão. Na manhã de hoje, já na conclusão dos trabalhos, uma solicitação do relator Elizeu Dionizio (PTdoB) deixou novamente o vereador Marcos Alex (PT) nervoso. A tensão começou quando o opositor pediu que o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), envie o mais rápido possível o comprovante de pagamento de R$ 17 milhões feito à CG Solurb.

O documento não foi entregue à CPI, mas Bernal o mostrou para uma emissora de televisão, sendo que na mesma reportagem disse que enviou aos vereadores toda documentação solicitada por eles. “Ele fez essas afirmações porque não passa de um mentiroso, esse comprovante não está com a CPI”, disse Elizeu que acusou o prefeito de estar mentindo inúmeras vezes.

O líder do progressista não deixou a acusação passar em branco e logo tratou de defender o chefe do Executivo. “Isso aqui não é palanque, há vontade de desgaste, mas tem que ter postura, atitude de agente público e não faltar com respeito, por isso solicito que a palavra mentiroso seja retirada da ata”, pediu o petista.

O impasse ganhou força quando o vereador Chiquinho Telles (PSD) interrompeu Marcos Alex. “O senhor já se retirou de reuniões da comissão e deixou todo mundo falando sozinho. Isso é sim é desrespeito. Isso é muito mais grave”, sentenciou. O presidente da CPI, Paulo Siufi (PMDB), completou “então se o prefeito não mentiu, ele faltou com a verdade”, ironizou.

Elizeu permaneceu com o mesmo posicionamento. “Não vou retirar nada porque o prefeito mente mesmo”, ressaltou. A discussão se estendeu um pouco mais e, por fim, Marcos Alex votou contra a solicitação do comprovante de pagamento, mas foi vencido pelos outros integrantes da comissão. A "rivalidade" entre o relator e o petista nasceu no plenário e se estende à comissão.

Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...
Senado aprova R$ 1,9 bi a estados para compensar desoneração de exportações
Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o obj...
Temer discutirá data de votação da reforma da Previdência nesta quinta
O anúncio do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que a votação da proposta de reforma da Previdência ficará para fevereiro causou r...


Jorge, comentários deveriam ser imparciais. O presidente da Camara, não pagou e o atual também não pode pagar pelo simples fato de não haver previsão legal para o pagamento, uma vez que não existe um contrato de aluguel entre o proprietário do imóvel e a Prefeitura de Campo Grande. Todo o dinheiro destinado ao pagamento do aluguel deveria ou foi devolvido a Prefeitura.

é fato que por muitos motivos a administração do Bernal, ainda é pífia.

e quem paga o pato somos nós os contribuintes. experimente por exemplo ir a alguma secretária. Vai se como é difícil ser atendido. cito uma: a central do cidadão, aquilo lá está um caos.
 
Joelson Santos em 23/07/2013 21:05:06
Essa tal CPI do calote também tinha que incluir o antigo presidente da câmara por ter ficado sete anos sem pagar o aluguel do prédio da atual câmara dos vereadores, e não colocar ele como presidente da CPI. Acredito que estão querendo mudar a opinião das pessoas criticando a atual administração sem perceberem os erros do passado. Calote por calote todos são caloteiro.
 
jorge henrique em 23/07/2013 16:38:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions