A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Março de 2019

11/12/2018 14:05

MDB também entra na briga pela 1° secretaria da Assembleia

O partido que já tinha combinado ficar com a vice-presidência, tem intenção de mudar de cargo

Leonardo Rocha
Deputados Junior Mochi (MDB), Eduardo Rocha (MDB), Renato Câmara (MDB) e Márcio Fernandes (MDB), durante sessão (Foto: Victor Chileno/ALMS)Deputados Junior Mochi (MDB), Eduardo Rocha (MDB), Renato Câmara (MDB) e Márcio Fernandes (MDB), durante sessão (Foto: Victor Chileno/ALMS)

Após acordo para ficar com a vice-presidência da Assembleia, os deputados do MDB resolveram entrar na briga pela segunda maior função do legislativo, a primeira-secretaria. Eles alegam que vão articular com os colegas, para conquistar os votos que precisam. Se conseguirem tal apoio, desistem do cargo anterior.

“Já conseguimos a vice-presidência, mas ainda podemos trocar até o dia da eleição, vamos tentar viabilizar junto aos colegas, até porque temos a segunda maior bancada da Casa. É legítimo também lutar pela primeira-secretaria”, disse Márcio Fernandes (MDB), vice-líder do partido.

Renato Câmara (MDB) também defende o mesmo caminho, ao dizer que cabe ao partido tentar os votos suficientes para o segundo cargo mais importante da Assembleia. “Nos colocamos à disposição para vice-presidência, mas ainda podemos mudar, resta apenas buscar o apoio junto aos colegas”, descreveu o emedebista.

Já o líder do partido, o deputado Eduardo Rocha (MDB), que inclusive seria o indicado para vice-presidência, adotou um tom mais moderado, ao dizer que o combinado inicial continua valendo e que vai conversar com os colegas de partido, para saber se existe a intenção de “buscar outro cargo” na mesa diretora. “Estava viajando nos últimos dias, mas vou discutir o tema com a bancada”, ponderou.

Disputa – Com o deputado Paulo Corrêa (PSDB) encaminhado para presidência, já que possui 20 votos a favor, a disputa acirrada na Assembleia está pela primeira-secretaria. Além desta “intenção” do MDB, o atual titular do cargo, Zé Teixeira (DEM), quer permanecer na função, que já exerce há quatro anos. Ele disse que já tem 8 votos, restando cinco para conquistar a maioria.

Outro interessado no cargo é o “G8”, que se trata de um grupo político, formado pelos deputados: Herculano Borges (SD), Lucas de Lima (SD), Carlos Alberto David (PSL), Renan Contar (PSL), Evander Vendramini (PP), Gerson Claro (PP), João Henrique Catan (PR) e Neno Razuk (PTB).

Eles querem indicar o próximo primeiro-secretário. “O nosso grupo é formado em maioria pelos deputados novos, que buscam espaço dentro da mesa diretora e na Assembleia. Temos a intenção de ficar com o cargo, por isso vamos atrás dos votos necessários, respeitando os outros colegas que também almejam a função”, disse Herculano Borges (SD).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions