A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

12/01/2017 10:29

Mudanças, atendimentos e comissões movimentam Câmara durante recesso

1ª Sessão Ordinária de 2017 acontece apenas no dia 16 de fevereiro

Richelieu de Carlo
Funcionários da Omep e da Seleta lotaram o plenário da Câmara em manifestação na presença de vereadores e prefeito. (Foto: Divulgação/CMCG)Funcionários da Omep e da Seleta lotaram o plenário da Câmara em manifestação na presença de vereadores e prefeito. (Foto: Divulgação/CMCG)

Com o retorno das sessões ordinárias programado apenas para 16 de fevereiro; reformas e mudanças nos gabinetes, reuniões de comissões especiais e atendimento à população mantém o funcionamento na Câmara dos Vereadores de Campo Grande durante os primeiros dias do recesso.

Essas ações mantêm a movimentação nos corredores da casa de leis, onde móveis dividem espaço com cidadãos aguardando serem atendidos nos gabinetes. Quem espera por um clima de férias pode se surpreender.

“Este é um momento de trabalho, não vou tirar férias”, diz o vereador Jeremias Flores (PT do B), que pretende fazer uma pausa apenas quando o gabinete estiver em reforma. “Pretendo tirar a parede e aumentar a sala de reuniões para receber mais pessoas. Quero que elas vejam o que acontece aqui dentro”, explica.

Assim como Jeremias, Junior Longo (PSDB) é um dos 18 vereadores eleitos para renovar o quadro da Câmara. “Começamos com trabalho, principalmente por causa dos funcionários da Omep e da Seleta”, afirma o parlamentar. Entretanto, ele espera tirar um período de descanso. “Pretendo tirar uma semana de férias. A família tem pedido”.

Comissões - Ambos os vereadores fazem parte de comissões provisórias criadas na casa de leis para atuarem durante o período de recesso parlamentar. Longo estava no grupo que trabalhou no texto final da reforma administrativa do prefeito Marquinhos Trad (PSD). E Jeremias acompanha a demissão dos funcionários da Omep e Seleta e da reestruturação do IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande).

Ao todo, são 13 parlamentares que trabalham atualmente em comissões durante o recesso, a maioria novatos. Entre os mais atuantes está Valdir Gomes (PP), que mesmo antes de assumir o posto já acompanhava a demissão dos terceirizados. Foi sugestão de ele criar um grupo para acompanhar o caso, no primeiro dia do ano, após a eleição da mesa diretora.

“Começamos essa legislatura com vitória”, disse Valdir Gomes ao comemorar a decisão da Justiça que suspendeu as demissões dos funcionários da Omep e Seleta e os liberou para retornar aos seus postos de trabalho. Ele também participa das deliberações que apura os motivos para a perda de R$ 300 milhões dos cofres da previdência municipal.

Nesta quarta-feira (11), as duas comissões se reuniram e decidiram enviar ofícios à prefeitura solicitando relatórios tributários do IMPCG e dados sobre os contratos e o TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) do Executivo com as entidades que fornecem os funcionários terceirizados. “O nosso trabalho ainda não acabou, queremos saber a real situação dos funcionários fantasmas e se eles realmente existem”, disse Valdir Gomes no fim da reunião.

Funcionário carrega armário em corredor da Câmara. (Foto: Richelieu de Carlo)Funcionário carrega armário em corredor da Câmara. (Foto: Richelieu de Carlo)
Móveis no corredor à espera de espaço no gabinete. (Foto: Richelieu de Carlo)Móveis no corredor à espera de espaço no gabinete. (Foto: Richelieu de Carlo)

Reformas – Parlamentares e funcionários da casa concordam que o recesso este ano é atípico por se tratar do início de uma nova legislatura. Mais da metade dos 29 vereadores estão chegando a seus gabinetes e alguns veteranos fazendo mudança. Como é o caso de Lívio Viana (PSDB): “Não vou tirar férias, vou ficar por aqui e arrumar algumas coisas no gabinete”.

Das reformas, os principais comentários são acerca da pintura e mudança na estrutura dos escritórios como retirar e mudar paredes. “Aqui as paredes são de gesso, então não fica caro fazer essas modificações”, diz a assessoria da casa. Ela também explica que não há aumento nos gastos com isso, porque a maioria dos pedidos é de objetos que já estão disponíveis.

“Quando á algo que foge do normal é feito um ofício que deve ser aprovado pela presidência.”, explica a assessoria. Com relação à disposição e escolha dos gabinetes, os próprios vereadores entraram em consenso para decidir em quais ficariam.

Projetos – Os vereadores também são cautelosos ao falar sobre os primeiros projetos que apresentarão ao plenário. “Nós já temos alguns, mas vamos sentar e discutir sobre como serão apresentados para a aprovação”, diz Junior Longo.

A maioria não dá detalhes, mas dizem que vão trabalhar em áreas que já atuavam antes de assumir a vereança. “Vou trabalhar com projetos que contribuam para a diminuição da criminalidade e uso de drogas”, diz o delegado da Polícia Civil Wellington de Oliveira (PSDB).

O veterinário Francisco Gonçalves Carvalho (PSB) vai pelo mesmo caminho e diz que vai trabalhar na proteção dos animais e controle de zoonoses. “A população pode contar comigo para a questão dos animais e controles de doenças”, relatou após falar com um cidadão que pedia dicas para a criação de filhotes de gatos, em um dos corredores da Câmara.

Já Valdir Gomes lamenta que o trabalho nas comissões não tenha deixado muito tempo para elaboração de propostas.

“Gostaria de ter começado de outra forma, trabalhando com minha equipe na elaboração dos projetos. Mas as causas que abracei são muito nobres”.

Atendimento – Um dos campeões em atendimento no gabinete é Chiquinho Telles (PSD), que vai para seu segundo mandato e cuja sala de espera sempre tem gente aguardando. No caso dele, tirar férias não chega a ser uma opção e pretende seguir trabalhando.

“Eu tenho medo de ar, água e BR”, diz Chiquinho ao explicar porque não viaja de avião, nem barco ou em rodovias.

“Os problemas não param, a prefeitura não para, e agora tenho mais responsabilidade por ser o líder do Marquinhos na Câmara”, finaliza o vereador, que em seguida atende um presidente de bairro que questiona cobrança de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) em área que seria isenta.

Plenário da casa de leis só voltará a ter sessões no dia 16 de fevereiro. (Foto: Richelieu de Carlo)Plenário da casa de leis só voltará a ter sessões no dia 16 de fevereiro. (Foto: Richelieu de Carlo)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions