A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

16/03/2017 12:33

Na pressão contra reforma, grupo faz protesto relâmpago em casa de deputada

Aline dos Santos e Marcus Moura
Grupo fez protesto em frente a casa de deputada (Foto: Direto das Ruas)Grupo fez protesto em frente a casa de deputada (Foto: Direto das Ruas)

O protesto para pressionar contra a reforma da Previdência “visitou” na manhã de hoje a casa da deputada federal Tereza Cristina Correa da Costa Dias (PSB) em Campo Grande. O grupo de cem pessoas ficou no local, na rua Nelson Figueiredo Júnior, bairro Antônio Vendas, das 10h30 às 11h10.

A mobilização foi abreviada após o presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação), Roberto Magno Botareli Cesar, avisar que a deputada vai votar contra a reforma.

O voto de Tereza Cristina, que acompanharia decisão da bancada do PSB, foi informado a ele por meio de contato telefônico da assessoria da parlamentar. Ainda de acordo com ele, foi agendada reunião entre a deputada e representantes de movimentos sindicais no próximo domingo (dia 19) em Campo Grande.

Já a assessoria de imprensa de Tereza informa que a deputada ainda não se decidiu o voto e não fez nenhum contato com os manifestantes. O PSB abriu consulta na internet sobre o tema para só então divulgar orientação aos filiados.

Desde ontem, dia nacional de mobilização, um grupo acampou em frente ao condomínio Damha, onde mora o deputado federal Carlos Marun (PMDB), presidente da Comissão Especial sobre a reforma da Previdência. Os professores estão em greve por tempo indeterminado.

Segundo Botareli, a militância vai decidir hoje à tarde se vai acampar em frente à residência de outro deputado. “Só vai parar quando todo mundo resolver votar contra”, afima o lider sindical.

A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 287, que altera artigos da Constituição para dispor sobre a seguridade social, foi apresentada pelo governo federal no dia 5 de dezembro de 2016.
As regras apresentadas incluem idade mínima de 65 anos, aumento do tempo de contribuição para 35 anos e equiparação das exigências entre homens e mulheres.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions