ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUARTA  23    CAMPO GRANDE 31º

Política

Nelsinho Trad acompanha Temer em missão de ajuda humanitária no Líbano

Senador e presidente da Comissão de Relações Exteriores é neto de libaneses e deve viajar à Beirute no dia 13

Por Izabela Sanchez | 11/08/2020 08:19
Neto de imigrantes libaneses, Nelsinho acompanha ex-presidente na missão humanitária (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
Neto de imigrantes libaneses, Nelsinho acompanha ex-presidente na missão humanitária (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

O senador Nelsinho Trad (PSD-MS) foi escolhido para compor a missão que levará ajuda humanitária a Beirute, capital do Líbano, cenário de explosão que deixou mais de 200 mortes na última terça-feira (4), além de milhares de feridos.

A missão, autorizada em decreto presidencial, começa nesta semana, entre os dias 12 e 15 de agosto.

A família Trad tem origem libanesa e Nelsinho, além do prefeito Marquinhos Trad (PSD) e do deputado federal Fábio Trad (PSD), é neto de imigrantes do Líbano.

Presidente da CRE (Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional), o senador acompanha o ex-presidente Michel Temer (MDB), que é filho de libaneses, nos dias de missão que levará ajuda humanitária à Beirute, arrasada por explosões na última terça.

Temer foi escolhido para coordenar a missão, mas precisou de autorização judicial para a viagem, já que é alvo de investigação e réu no âmbito da Operação Descontaminação, uma das fases da Lava Jato. A autorização é do juiz Marcelo Bretas, da Lava Jato no Rio de Janeiro.

O convite para Temer coordenar a missão veio de Bolsonaro. Nelsinho tem acompanhado o presidente em viagens, a exemplo da visita ao estado da Flórida (EUA),  em março. Depois da viagem, o senador e outros participantes da comitiva foram diagnosticados com covid-19.

Uma grande parcela da estrutura de Beirute, a capital libanesa, ficou completamente destruída com a explisão do nitrato de amônia (Reuters/Mohamed Azakir)
Uma grande parcela da estrutura de Beirute, a capital libanesa, ficou completamente destruída com a explisão do nitrato de amônia (Reuters/Mohamed Azakir)

Decreto – A viagem foi autorizada em decreto presidencial publicado na segunda-feira (10) e cita 13 nomes para compor a comitiva que irá para Beirute em aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira), entre eles o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo), Paulo Skaf, também filho de imigrantes libaneses que fizeram fortuna em São Paulo na indústria têxtil.

A Folha pontua que o grupo só deve ficar um dia no Líbano, já que chega em Beirute na quinta-feira (13) e a expectativa é que retorne já na sexta-feira (14).

Conforme a Folha, dois aviões da FAB partem ao Líbano. Uma aeronave modelo KC-390 levará provisões, entre ventiladores pulmonares, máscaras cirúrgicas, kits de primeiros-socorros e material de construção, além de ao menos 500 cestas básicas e meia tonelada de medicamentos e equipamentos doados pela Câmara de Comércio Brasil-Líbano.

Já a comitiva chefiada por Temer vai em outra aeronave que leva também equipe médica com 16 profissionais, entre médicos e enfermeiros, voluntários que devem atuar no país.

Na última terça-feira (4), vídeos correram o mundo com imagens chocantes de imensos cogumelos causados pela explosão. Alguns moradores que filmavam o acidente acabaram sendo atingidos pelo impacto. A explosão ocorreu na zona portuária de Beirute e foi provocada pela por 2.750 toneladas de nitrato de amônio armazenadas no porto.

O caso ainda é investigado pelas autoridades libanesas. Na segunda-feira (10), o primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, renunciou e anunciou a dissolução de seu gabinete, conforme publicou o UOL.