A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

01/10/2014 12:52

No dia do vereador, sessão dura quatro minutos por causa de faltosos

Kleber Clajus
Presidente da Câmara já cobra presença amanhã para votar projeto de escola técnica (Foto: Marcos Ermínio / Arquivo)Presidente da Câmara já cobra presença amanhã para votar projeto de escola técnica (Foto: Marcos Ermínio / Arquivo)

Quatro minutos resumiram o impacto das eleições na dinâmica de votações na sessão, desta quarta-feira (1º), na Câmara Municipal de Campo Grande. Ironicamente, hoje é dia nacional do vereador e de 29 apenas nove parlamentares se apresentaram no plenário.

A pequena lista dos presentes teve Mario Cesar (PMDB), Eduardo Romero (PT do B), Chiquinho Telles (PSD), Paulo Pedra (PDT), Edson Shimabukuro (PTB), Waldecy Chocolate (PP), Gilmar da Cruz (PRB), Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB) e Ademir Vieira, o Coringa (PSD).

Eduardo ressaltou que as agendas eleitorais podem ter causado a ausência massiva de vereadores, mas também confusão pelo fato das quartas-feiras serem dedicadas a audiências públicas. “Espero que amanhã tenhamos quórum para votar os projetos, uma vez que hoje eram ofícios”, ressaltou, relembrando que o dia do vereador é comemorado desde 1984 e foi instituído pela Lei Federal nº 7.212.

No mês passado, as ausências atrasaram votação de vetos e projetos prioritários como suplementação de R$ 153 milhões. O processo eleitoral foi apontado como principal “vilão”, uma vez que 11 vereadores são candidatos nas eleições estaduais deste ano.

Para o presidente da Casa de Leis, Mario Cesar, a eleição impactou sim os trabalhos, mas é preciso considerar que nesta semana se encerram as reuniões. Em contrapartida, o peemedebista já cobra presença amanhã quando entra em discussão a desafetação de área para construção de escola técnica do Sistema S, no Bairro Santo Antônio.

“A área tem ruas projetadas que serão desafetadas para se tornar um único terreno e facilitar os investimentos”, explicou Mario.

 

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions