ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, TERÇA  22    CAMPO GRANDE 23º

Política

Nova polêmica de ministra recupera palestra realizada em Campo Grande

Em maio de 2013, Damares Alves disse na Capital sobre indicação de especialistas holandeses para masturbar bebês

Por Aline dos Santos | 25/01/2019 10:14
Damares Alves (de azul) durante palestra na Capital em 2017. Já vídeo polêmico é de 2013. (Foto: André Bittar)
Damares Alves (de azul) durante palestra na Capital em 2017. Já vídeo polêmico é de 2013. (Foto: André Bittar)

Já famosas no Brasil, as declarações de Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, agora causam polêmica na Holanda. Numa palestra em maio de 2013, na Primeira Igreja Batista de Campo Grande, ela critica que os pais holandeses são instruídos a “massagear sexualmente suas crianças”.

De acordo com o UOL, a fala de Damares tornou-se assunto em dois grandes jornais dos Países Baixos e levou o Brasil aos trending topics, lista de assuntos mais comentados, no Twitter de lá.

"Inclusive na Holanda, os especialistas ensinam que o menino deve ser masturbado com sete meses de idade para que, ao chegar na fase adulta, possa ser um homem saudável sexualmente, e a menina deve ter a vagina manipulada desde cedo para que ela tenha prazer na fase adulta”, disse Damares.

Na palestra, ela questionou o público se poderia “rasgar o verbo”. Na sequência, cita que a prefeitura de São Paulo gastou R$ 2 milhões em um grupo para ensinar sobre ereção e masturbação em bebês nas escolas.

Na Holanda, os jornais divulgaram matérias com os seguintes títulos “Ministra brasileira: especialistas holandeses recomendam satisfação sexual de bebês” e “Ministra Damares conta fábulas sexuais sobre a Holanda”. Segundo o UOL, as declarações foram recebidas com indignação e espanto.

Damares coleciona passagens polêmicas, mesmo antes de ser ministra, como nesse vídeo de 2013, e já no primeiro escalão do governo federal.

A mais conhecida, com ampla repercussão nas redes sociais, é a que menino veste azul e menina veste rosa; mas ela também já criticou o Sisu, que permite ao estudante se candidatar em vaga para universidade longe da família, e sobre a teoria da evolução nas escolas.