A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Agosto de 2017

16/09/2013 14:39

Ofício da CEF revela que “Cidade de Deus” não está na suplementação

Zemil Rocha
Mario diz que R$ 9 milhões da suplementação não inclui casas para Cidade de Deus (Foto: arquivo)Mario diz que R$ 9 milhões da suplementação não inclui casas para Cidade de Deus (Foto: arquivo)

O presidente da Câmara de Campo Grande, vereador Mario Cesar (PMDB), garante que a construção das casas para as famílias do bairro “Cidade de Deus” não depende de aprovação de suplementação pedida pelo prefeito Alcides Bernal (PP) aos vereadores e alega ter documento oficial da Caixa Econômica Federal que prova isso. No pedido de abertura de crédito suplementar de R$ 9 milhões para a Agência Municipal de Habitação (Emha), segundo ele, estão previstos recursos de contrapartida para os residenciais Celina Jallad, Gregória e Ari Abussaf, não estando incluído o referente a casas para o “Cidade de Deus”.

“90% da suplementação que o prefeito está pedindo é dinheiro que é contrapartida municipal por conta do PAC (Programa Aceleração do Crescimento), que é o Celina Jallad, Gregória e Ari Abussaf, que é para remoção do pessoal da Portelinha, porque a obra da Av. Norte-Sul está parada perto do Talismã e vai seguir até a Consul Assaf Trad, na região do Segredo”, informou.

Explicou que houve bloqueio do repasse financeiro em razão da falta de contrapartida. “No final do ano passado já estava bloqueado por conta dessa contrapartida que estava faltando”, revelou o presidente Mario Cesar. “Então, não tem nenhum projeto de suplementação vinculado ao pessoal da “Cidade de Deus”, reafirmou.

Nesta manhã, moradores do bairro Cidade de Deus pressionaram o prefeito Alcides Bernal a resolver o problema. Após ameaçarem protesto na frente da Prefeitura de Campo Grande e espera de mais de uma hora, eles foram recebidos pelo prefeito, que mais uma vez jogou a culpa nos vereadores. Bernal afirmou que a construção de dois novos condomínios residenciais e casas populares no Portelinha depende da aprovação do projeto de suplementação de R$ 9 milhões, que está na Câmara.

Mario Cesar revelou que na sexta-feira (13) recebeu ofício da Caixa Econômica Federal sobre os empreendimentos que estão dependendo da suplementação para terem andamento. “Me informaram que a contrapartida municipal é de R$ 7,9 milhões nos três projetos e esse valor é única e exclusivamente para esses empreendimentos que eram do PAC dentro do Minha Casa, Minha Vida”, revelou o peemedebista. “Não tem nada nesses projetos que seja vinculado à Cidade de Deus”, emendou.

A fim de esclarecer essa situação, que teria sido criada pelo prefeito Alcides Bernal, para jogar a população contra os vereadores, o presidente da Câmara disse que convidou o secretário municipal de Planejamento, Finanças e Controle, Wanderley Ben Hur, e o presidente da Emha, Amilton Cândido de Oliveira, para uma reunião com os vereadores amanhã, às 8 horas.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions