ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 29º

Política

Para deputado, Cimi incita violência entre indígenas e produtores

Por Wendell Reis | 22/11/2011 14:10

O deputado Zé Teixeira (DEM) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira (22) para falar sobre os conflitos entre índios e produtores rurais no Mato Grosso do Sul. O deputado acusa o Cimi (Conselho Indigenista Missionário) de incitar a violência entre os dois grupos.

Zé Teixeira afirma que o Cimi posta informação incorreta sobre a questão indígena em seu site. Segundo o deputado, em 2003 o Cimi afirmou que havia 109 mil índios no Mato Grosso do Sul e agora relata que o número é de 72 mil. “O número de índios cresce 3,5% ao ano. Então, essa conta não bate”, alega o deputado, ressaltando que os números são diferentes do apresentado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O deputado também acusa o Cimi por uma publicação “absurda” em uma agência de Londres, dizendo que o BNDS (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) financia a plantação de cana-de-açúcar nas terras indígenas. “Joga o produtor contra o índio, desmoralizando o País. Precisa de um denominador comum para resolver o problema de 28 invasões no Mato Grosso do Sul”.

Teixeira lembra que o produtor contribui com o pagamento dos impostos, que acaba sendo direcionado ao índio, que se aposenta sem nunca ter contribuído. Além disso, afirma que muitos índios invadem propriedades, chegam a comercializar carne e não são punidos, sem que ninguém tome providências.

Zé Teixeira propõe a desapropriação de terras pelo Governo Federal para resolver o problema. Ele afirma que o índio não come terra e precisa é de investimentos, defendendo que querem é TV, internet e uma profissão. Ele lembra ainda que a Casa enviou uma comissão a Brasília para tentar resolver o problema, mas afirma que o Governo Federal só enrola o caso, aumentando o desgaste e a pressão.

O deputado Pedro Kemp (PT) também pediu providências da Assembleia, dizendo que tem que tomar uma posição para acabar com o clima de tensão e terror que atinge o Estado. “Não podemos fazer de conta que nada está acontecendo”. Segundo o deputado, o Mato Grosso do Sul está com uma imagem de estado sem ordem, segurança ou paz.

Brasília - O deputado Laerte Tetila, que tem a causa indígena como uma de suas banderias na Assembleia, viajou a Brasília para cobrar do governo uma ação 'enérgica' para conter a violência que, a seu ver, é causada pela lentidão no processo de demarcação das áreas indígenas. Tetila promete ficar acampado em frente ao Ministério da Justiça.

Nos siga no Google Notícias