A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

17/11/2015 09:38

Para evitar afastamento, Carlão depõe no Gaeco e faz ataques a Bernal

Leonardo Rocha e Antônio Marques
O vereador estava acompanhado por seu advogado, em depoimento ao Gaeco (Foto: Fernando Antunes)O vereador estava acompanhado por seu advogado, em depoimento ao Gaeco (Foto: Fernando Antunes)
Carlão disse que não tem nada a esconder e que solicitou depoimento (Foto: Fernando Antunes)Carlão disse que não tem nada a esconder e que solicitou depoimento (Foto: Fernando Antunes)

O vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), chegou na sede do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), antes das 9h, para prestar esclarecimentos sobre a operação Coffee Break. O objetivo é evitar afastamento da Câmara Municipal, conforme já foi solicitado à Justiça pelo MPE (Ministério Público Estadual). Ele ressaltou que não tem nada a esconder e aproveitou para fazer duras críticas ao prefeito Alcides Bernal (PP).

O parlamentar fez questão de frisar que este depoimento foi um pedido do seu advogado, Rodrigo Dalpiaz, que solicitou aos promotores, para que ele pudesse dar as explicações necessárias. Lembrou que no dia 25 de agosto, quando foi conduzido ao Gaeco, levou o celular que estava com ele, e deixou outro que tinha WhatsApp carregando. "Foi uma atitude arbitrária, não precisava daquilo, não deu tempo de pegar", argumentou.

Carlão disse que no dia 4 de novembro, um dia antes do pedido do seu afastamento, seu advogado já tinha solicitado ao Gaeco, a realização do depoimento, mas não foi respondido. Ele foi notificado na quinta-feira (12) e um dia depois apresentou defesa. "Vou esclarecer todas as informações, não tenho nada a esconder".

Críticas - O vereador ainda criticou as ações dos promotores que solicitam prisões, apenas para ouvir depoimentos e também não deixou de citar o prefeito Alcides Bernal. "Ele diz que todo vereador é porcaria e não vale nada, detalhe que não sou eu que tem filho deficiente e não paga pensão, assim como tem cheque sem fundo na praça".

Carlão ainda disse que vai ajudar a cidade, mas não irá frequentar inaugurações da prefeitura e ainda negou outros fatos, em que foi citado em depoimentos ao Gaeco. "O Bernal disse que solicitei renovação de contrato de cemitérios, já o Paulo Pedra que mudei o voto da noite para o dia, não é verdade, meu voto foi consciente, baseado nos dados da CPI do Calote".

O Campo Grande News entrou em contato com o prefeito Alcides Bernal (PP), sobre as críticas que sofreu do vereador Carlão. Por meio da sua assessoria, ele respondeu que não irá se manifestar sobre tais declarações, pois o momento é de trabalho e "entrar em tais discussões seria descambar para baixaria e Campo Grande não merece isso".

Assembleia recebe prestação de contas e fará limpeza de pauta antes do recesso
A última semana de trabalho do Poder Legislativo de Mato Grosso do Sul em 2017 será aberta com a audiência pública para prestação de contas do govern...
Assembleia vota prorrogação de adesão a fundo que regula incentivos fiscais
A prorrogação até 30 de dezembro do prazo para que empresas beneficiadas com incentivos fiscais concedidos pelo governo do Estado se inscrevam no Fad...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions