A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

19/02/2014 16:31

Pedro Chaves já estuda mudar de partido se assumir mandato no Senado

Edivaldo Bitencourt e Kleber Clajus

O secretário municipal de Governo, Pedro Chaves, já cogita mudar de partido se assumir a vaga de senador no lugar de Delcídio do Amaral (PT). Apesar do petista ainda nem ter sido eleito governador, o suplente vem consultando a Justiça Eleitoral e analisando convites de partidos políticos.

Chaves anunciou que deixa o cargo de secretário de Alcides Bernal (PP) em abril ou junho deste ano, quando passará a se dedicar à campanha de Delcídio ao Governo.

No entanto, antes mesmo da campanha começar, ele já enviou carta consulta ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para saber se a mudança não fere a fidelidade partidária.

Atualmente, Chaves está no nanico PSC. Ele recebeu convites do PDT e do PT.

Segundo o vereador Paulo Pedra (PDT), a filiação do secretário será muito bem-vinda quando ele virar senador.

Apesar de confirmar os convites dos dois partidos, Pedro Chaves mostrou-se inclinado ao PDT. Ele destacou que o partido tem grandes nomes, como Leonel Brizola e o ex-governador do Distrito Federal e senador, Cristovam Buarque (PDT).

Chaves diz que a Justiça Eleitoral só deverá se manifestar em 45 dias. No entanto, a posse como senador só deverá ocorrer em janeiro, quando Delcídio poderá assumir o Governo. Outra hipótese é o petista se licenciar por mais de 120 dias, como ocorreu na campanha eleitoral de 2006, e o empresário Antônio João Hugo Rodrigues assumiu o Senado.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


Peraí.. com referência à quarta linha do 1º parágrafo....."....ainda nem ter sido eleito governador,...",quem disse que ele será eleito? Eu acho que o texto certo seria: "apesar de o petista NEM TER DISPUTADO AINDA -ISSO MESMO - NEM TER DISPUTADO AINDA, O CARGO PARA GOVERNADOR". No texto atual, já o aponta como governador que só falta tomar posse. Será que ele ganhará? Eu tenho minhas dúvidas.
 
Gilson Giordano em 20/02/2014 10:16:07
Penso que ele se identifica mais com o PT.
 
José Carlos em 20/02/2014 08:49:11
Esse vive de conveniência para ter poder porque dinheiro não lhe falta.
 
João Pedro em 19/02/2014 18:11:51
A isso dá-se o nome de promiscuidade eleitoral. É o que dá o Congresso engavetar por mais de uma década a Reforma Política no Brasil. O sujeito se elege por um partido e pula de galho em galho conforme seus interesses pessoais. Acontece que partidos nanicos são feitos somente para barganhar e lucrar com o "apoio" aos grandes para somar tempo no Horário Eleitoral Gratuito na televisão. De uma só vez, essa matéria reúne três aberrações políticas que deveriam desaparecer do mapa, a bem da fustigada democracia brasileira: 1) Fim de suplente (ninguém vota em suplente); 2) Fim de partidos nanicos e 3) fidelidade partidária. Saiu do partido, perde a boquinha. Dessa forma, o professor Pedro Chaves deveria encarar as urnas para ver se o povo vota nele para algum cargo eletivo.
 
Paula Saldanha em 19/02/2014 17:58:58
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions