A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

23/08/2013 14:35

Pela primeira vez, fiscalizado passa a ser chefe da inspeção animal do Mapa

Zemil Rocha
Foco de aftosa em MS começou em fazenda do tio do novo chefe de inspeção animal (Foto: Arquivo)Foco de aftosa em MS começou em fazenda do tio do novo chefe de inspeção animal (Foto: Arquivo)

A nomeação, hoje, do novo Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) acaba com a tradição de apenas agentes de fiscalização assumirem o cargo. É a primeira vez que alguém da iniciativa privada comanda esse órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Trata-se, segundo o Sindicato Nacional dos Fiscais Agropecuários (Anffa Sindical), de mais uma medida de “aparelhamento dos cargos técnicos” no ministério.

O médico veterinário Flávio Braile Turquino assume o cargo que estava vago após a saída de Luis Carlos de Oliveira, no fim de 2012. Flávio, cuja nomeação foi publicada hoje no Diário Oficial da União, é sobrinho do dono de uma fazenda em Eldorado, onde surgiu foco de febre aftosa, que acabou se espalhando por Mato Grosso do Sul e sendo levada para o Paraná. Além disso, há informações de que Flávio Turquino possuiu uma fábrica de sal mineral em Eldorado.

Formado na Universidade Federal do Paraná, o veterinário Flávio Turquino ocupava, desde 2008, posto de gerência na empresa Big Frango, além de ter trabalhado na Biogirin, Cargil e Rural nutrição animal. “É uma imprudência colocar dentro de um setor de que cuida de frigoríficos um veterinário da iniciativa privada para cuidar”, criticou um fiscal do MAPA que trabalha em Mato Grosso do Sul. “Ontem quem era fiscalizado, agora é fiscalizador”, afirmou.

Segundo esse mesmo fiscal, nunca aconteceu, em 150 anos de Ministério da Agricultura, de um secretário nacional ou diretor de departamento ser proveniente da iniciativa privada. A indicação para o cargo de Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal teria sido feita pelo setor avicultura (UBA- Uniaõ Brasileira de Avicultura e ABEFE – Associação Brasileira das Industrias Exportadoras de Frango).

Operação “desmonte” - A ocupação de cargos técnicos por pessoas de fora do Ministério já havia sido alertada pelo Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários. A nomeação de Flávio Turquino é a segunda que conta com clara interferência das empresas que são fiscalizadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Por entender que há uma política de “desmonte da ação fiscal do Ministério da Agricultura”, que também inclui falta de recursos e materiais, os fiscais agropecuários estão decidindo nesta sexta-feira por uma provável paralisação nacional de suas atividades nos portos, aeroportos e frigoríficos. O sindicato nacional (Anffa) está organizando a paralisação nos dias 29 e 30 de agosto.

A nomeação de Turquno acirrou ainda mais os ânimos dos fiscais agropecuários federais contra o ministro Antônio Andrade (PMDB/MG), que havia escolhido na semana passada o advogado Rodrigo Figueiredo para o cargo de secretário de Defesa Agropecuária. A categoria iniciou uma operação padrão na semana passada contra a nomeação e o próximo passo poderá ser uma greve.

O presidente do Anffa Sindical, Wilson Roberto de Sá, suspeita de interesses eleitorais nessas nomeações. Para ele, “a Defesa Agropecuária será utilizada para arrecadar fundos para as campanhas eleitorais do próximo ano".

Embora tenha sido nomeado, Tirquino ainda não assumiu o cargo, já que está em viagem a Bariloche, cidade da Argentina , localizada na Província de Río Negro , junto à Cordilheira dos Andes.

Subordinado à Secretaria de Defesa Agropecuária, o Dipoa é um departamento que regula e coordena, em nível nacional, a aplicação das leis, normas regulamentadas e critérios para a garantia da qualidade e a da segurança dos produtos de origem animal. A oferta de alimentos de origem animal aptos ao consumo, resguardadas as condições higiênico-sanitárias e tecnológicas, é o resultado final da atuação do Dipoa em todo o território brasileiro.

MS retoma status de área sem aftosa
O presidente da Comissão Científica da OIE (Organização Mundial de Saúde Animal, Enzo Caporale, oficializou hoje à Secretaria de Defesa Agropecuária ...
Interrogatório de Lula na Operação Zelotes é marcado para fevereiro de 2018
A Justiça Federal em Brasília marcou para o dia 20 de fevereiro de 2018 os interrogatórios do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de seu filho ...
Senado aprova desconto de dívidas de produtores rurais e texto segue para sanção
O Senado concluiu a votação, nesta quinta-feira (14), do projeto que permite a renegociação das dívidas de produtores rurais, estabelecendo descontos...


Pode ser um grande tiro no pé.
Não sei definir ser fiscal federal é sinonimo de caráter ou idoneidade. Mas a exposição das cadeias produtivas de carne, lácteos e POA em geral a ações menos sérias ou firmes. É tudo que países importadores querem para blindar suas próprias cadeias de produtivas impedindo a importação de nossas indústrias.
O rigor da ação do DIPOA garante nossa liquidez no mercado internacional.
Espero e torço para que, os assessores Fiscais Federais, sejam influentes o bastante para não deixar a peteca cair. Ninguém é uma ilha para decidir sozinho.
 
JEFERSON LYDIJSSE em 27/08/2013 13:41:54
O problema ´é o seguinte, não se trata de competência. O negocio é QI ( quem indicou ) e porque, ? Quando começam a misturar política com critérios técnicos. Aí vira bagunça. Cada Macaco no seu galho. A nomeação no meu ver deveria vir de alguém de dentro do MAPA. com conhecimento de causa. Desculpem a franqueza, vão botar a raposa para tomar conta do galinheiro.
 
Eduardo von Atzingen em 25/08/2013 14:48:56
Que se faça chegar a Presidência da República o clamor pela desmoralização que se está causando à Sua Imagem e Instituições. Não é possível que fatos assim , derivados das más tratativas politicas, no arremedo de soluções para apoio Governamental ou a farsa da Governabilidade, ponham em risco a Moral e os Bons Costumes.
Afinal a Administração Pública não é Casa de Tolerância, que deva ser entregue aos Meliantes.
Outrossim, se todas as versões que já são de domínio Público, não forem verdadeiras, então se mantenham as Nomeações e, se puna as supostas calúnias veiculadas.
 
Ronaldo Carvalho santos em 24/08/2013 21:15:56
A essas alturas não se espantem que o o Fernandinho Beira-Mar seja nomeado, Chefe da Polícia Federal.

 
Aloisio Marcondes Cesar em 24/08/2013 18:44:22
Não conheço esta pessoa, e não tenho nada contra ela. Mas isto mostra que nosso sistema de fiscalização é falho e continuará sendo. Enquanto políticos continuarem a nomear pessoas que normalmente são apadrinhados ou que a própria industria que financia suas companhas políticas, indicam pessoas literalmente com o rabo preso, para ocuparem cargos de chefia, continuaremos ser um país de segundo mundo!!! Isto que esta acontecendo, não é novo... sempre existiu em nosso sistema!!! O que penso é que normalmente as pessoas que trabalham não tem tempo para ficar fazendo politicagem e por isso não ocupam estes cargos!!! Já aqueles tem muito tempo ocioso, ficam fazendo esta politicagem e acabam exercendo cargos importantes. Naturalmente que há exceções, porém acredito que é uma pequena minoria!!
 
Alexandre Oba em 23/08/2013 23:04:44
È a maldita politicagem interferindo nos trabalhos sérios no Brasil.
 
WALDIR FRANCO BOGAMIL em 23/08/2013 21:19:12
Quem vigia os vigilantes?
 
Paulo Duarte em 23/08/2013 16:38:24
É apenas mais um exemplo do descaso que o atual governo Dilma trata a saúde da população.

É propaganda dizendo que carne com selo de inspeção é melhor que as outras ...ora senão tem selo de inspeção é clandestino!
Então a carne é a mesma que as demais na qualidade!

Com exceção do preço.
 
Juaez Souza em 23/08/2013 16:27:26
Esse ministro só pode estar de brincadeira. Tem que fazer greve mesmo.
 
Laura Castellani em 23/08/2013 16:09:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions