A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

03/04/2013 08:17

Perseguidos políticos começam a depor para Comitê da Verdade

Portal ALMS

Começam nesta quarta-feira (3/4) os depoimentos de perseguidos políticos e pessoas que sofreram violação dos direitos humanos entre 1946 e 1988 no Mato Grosso do Sul. O trabalho de coleta de informações na busca por elucidação de fatos e reparação dos direitos será uma ação conjunta entre a Comissão de Trabalho, Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa e o CMVJ/MS (Comitê Memória, Verdade e Justiça de MS).

O primeiro depoente será Haroldo Borralho, coordenador de Meio Ambiente do Cedampo (Centro de Documentação e Apoio aos Movimentos Populares), e ex-vice-presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores. Ele falará sobre as perseguições políticas sofridas por militantes de partidos de esquerda ocorridas no início dos anos 80, que envolve, entre outros assuntos, a destruição da sede do Partido dos Trabalhadores. Borralho defende que o incêndio na sede do PT foi criminoso e dentro de uma série de evidências apontam para a perseguição política.

O Comitê da Verdade trabalha em articulação com a CNV (Comissão Nacional da Verdade) e é composto por entidades como a OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Mato Grosso do Sul), a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), o Diretório Central dos Estudantes da UFMS (Universidade Federal de MS), o Centro de Defesa dos Direitos Humanos “Marçal de Souza”, a CUT/MS (Central Única dos Trabalhadores de MS), o Centro de Documentação e Apoio aos Movimentos Populares; Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, a Fundação Perseu Abramo, a Fundação Maurício Grabois, a Fundação Astrogildo Pereira, a Fundação Ulisses Guimarães e a Diretoria de Direitos Humanos da UNE (União Nacional dos Estudantes).

O presidente da Comissão de Trabalho, Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, deputado estadual Laerte Tetila (PT), destaca que esse será o primeiro depoimento de uma série que acontecerá nas próximas semanas com o objetivo de revelar parte da história de Mato Grosso do Sul que foi escondida. “Os depoimentos permitirão apurar as violações dos direitos de cidadãs e cidadãos com o objetivo de enviar aos órgãos competentes informações que auxiliem na identificação dessas práticas e a reparação da dignidade dessas pessoas que foram perseguidas, despertando para que esse tipo de violação não ocorra novamente”, afirma o parlamentar.

A audiência para depoimento começa às 14h no plenarinho da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions