A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 24 de Agosto de 2017

21/07/2017 12:46

Posições de deputada contrariam linha esquerda do PSB, dizem lideranças

Lideranças dizem que partido resolveu retomar bandeiras de esquerda, o que difere da base eleitoral de Tereza Cristina

Leonardo Rocha
Deputada Tereza Cristina pode sair do PSB, por posições contrárias (Foto: Assessoria - Divulgação)Deputada Tereza Cristina pode sair do PSB, por posições contrárias (Foto: Assessoria - Divulgação)

Lideranças do PSB afirmam que as posições da deputada federal, Tereza Cristina (PSB), representante da ala ruralista e que votou a favor da reforma trabalhista, contrariam a linha tradicional de esquerda, que o partido resolveu retomar em 2017 e que faz parte da sua história, desde a sua criação em 1947.

A secretaria nacional do PSB, Dora Pires, ressaltou que a deputada de Mato Grosso do Sul exerce seu mandato de forma "individualista", representando os interesses da bancada ruralista. "Com seu estilo próprio, nada socialista, que ela lute por suas posições, mas não aqui", argumentou em nota.

Mesma postura do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, que ao comentar sobre Tereza e outros "dissidentes" do PSB, disse que o partido estava defendendo suas "posições históricas", por isso fechou questão contra a reforma trabalhista.

Tereza Cristina foi eleita com o apoio da ala ruralista do Estado e desde que chegou ao Congresso Nacional, em 2015, assumiu o tema como principal bandeira, tanto que foi eleita vice-presidente da Frente Parlamentar Agropecuária da Câmara, e ainda integra a comissão permanente de Agricultura.

"A deputada sempre deixou claro a defesa do setor agropecuário, e alinhada com a base aliada do presidente Michel Temer (PMDB), acontece que o partido resolveu deixar este grupo e resgatar suas bandeiras históricas de social e esquerda, contra as reformas, o que gerou este impasse", admite o presidente estadual do PSB, Aluízio São José, prefeito de Coxim.

O vereadores Carlos Borges (PSB), liderança municipal em Campo Grande, faz a mesma leitura, que o partido de origem de esquerda, resolveu resgatar as bandeiras do passado, o que fica incompatível com a base eleitoral de Tereza. "Ela faz a defesa do setor ruralista e agropecuário, por isso estão em caminhos opostos".

O Campo Grande News tentou entrar em contato com a deputada Tereza Cristina (PSB), mas ela não atendeu as ligações, até o fechamento da reportagem.

Histórico - O PSB foi criado em 1947, sendo um partido de ideologia socialista, no campo da esquerda democrática, procurando ser uma alternativa na época ao PCB e PTB. Apoiou o governo de João Goulart, por isso foi extinto em 1965, pela ditadura militar. Voltou as atividades apenas em 1985, obtendo novamente o registro em julho de 1988.

A principal liderança na década de 90 foi o ex-governador Miguel Arraes, que inclusive facilitou as alianças com o PT, nas eleições de 1994 e 1998. No começo dos anos 2000, resolveu lançar seu candidato a presidente, o ex-governador Anthony Garotinho, mas depois da derrota, apoio os governos do PT, em 2006 e 2010.

Com Eduardo Campos saiu um pouco da ala esquerda, tendo candidato a presidente, no entanto após a morte do ex-governador, teve como representante Marina Silva, com militância no PT e PV. Depois da queda de Dilma Rousseff (PT), entrou para base de Michel Temer (PMDB), mas decidiu sair do grupo e se posicionar contra o governo e reformas.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions