A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

20/07/2017 08:37

Ala feminina do PSB pede saída da deputada Tereza Cristina do partido

Daiene Cardoso (Estadão Conteúdo)
Aliada do presidente Michel Temer, deputada Tereza Cristina (foto) do PSB corre risco de ser expulsa do partido.Aliada do presidente Michel Temer, deputada Tereza Cristina (foto) do PSB corre risco de ser expulsa do partido.

Após a deputada e líder do PSB na Câmara Tereza Cristina (MS) admitir que há uma negociação aberta de migração para o DEM ou para o PMDB, a Secretaria Nacional de Mulheres do partido pediu que a parlamentar se antecipe ao processo de expulsão e deixe a sigla.

"Exigimos que a pessoa em questão não espere o processo de expulsão por meio da representação no Conselho de Ética e que tenha a dignidade de deixar o PSB, antecipando-se assim a mais essa situação de desmoralização pública", diz a nota assinada pela secretária nacional do PSB, Dora Pires.

O documento foi aprovado de forma unânime pelas 11 mulheres que compõem a Executiva da Secretaria e foi distribuído à direção da sigla, além das bancadas na Câmara e no Senado.

Já o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) quer que Tereza Cristina seja destituída da liderança. "Vamos cobrar um posicionamento do Carlos Siqueira (presidente da legenda). A gente não pode ficar nesse situação em que a líder conspira contra a bancada que ela lidera para poder levar para outros partidos. É de uma incoerência, falta de postura e legitimidade que extrapola os limites que a gente possa aceitar", disse. Segundo Delgado, o estatuto do PSB permite que a direção partidária destitua um líder de bancada.

Tereza Cristina faz parte da ala governista do PSB e vota de acordo com a orientação do Planalto, desobedecendo a determinação partidária. A sigla deixou o governo em maio, após a divulgação da delação do empresário Joesley Batista, da JBS. Desconfortáveis no PSB, o grupo governista flerta com PMDB e DEM, o que causou atrito entre o presidente Michel Temer e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

'Desmoralização'

Na nota, Dora Pires diz que as manifestações públicas de Tereza Cristina sobre as negociações para migração de legenda representam a "desmoralização das mulheres socialistas e de esquerda" e pede sua saída imediata "das fileiras socialistas".

Mais cedo, a deputada adotou um tom pacificador e disse acreditar em uma reaproximação com o partido. "Quanto às especulações sobre a filiação de deputados socialistas a esta ou àquela legenda, enfatizamos acreditar, antes de mais nada, na retomada do diálogo com a Direção Executiva do PSB." (Colaborou Renan Truffi)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions