ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
NOVEMBRO, QUINTA  30    CAMPO GRANDE 23º

Política

Prefeito ainda tem esperança de reduzir valor de convênio com o Exército

Após adiamentos, obras de recapeamento e drenagem devem começar em fevereiro em importantes avenidas da cidade

Alberto Dias e Richelieu de Carlo | 27/01/2017 14:43
Marquinhos Trad seguirá na "pechincha" até o início das obras, previstas para fevereiro. (Foto: Marcos Ermínio)
Marquinhos Trad seguirá na "pechincha" até o início das obras, previstas para fevereiro. (Foto: Marcos Ermínio)

Após decidir manter o convênio com o Exército para recapear importantes avenidas da Capital, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) busca alternativas para reduzir o valor do contrato, cujo montante inicial soma R$ 24,4 milhões, a ser pago ao longo de dois anos. Seguindo a linha de "fazer mais por menos", o chefe do Executivo diz que vai propor um plano de execução em 18 meses.

"Tirando seis meses, imagina a redução no aluguel de de máquinas e no pagamento funcionários", estimou Trad, numa conta simples: "Diminuindo o prazo, barateamos as obras e tudo o que conseguirmos economizar com isso já é lucro", disse há pouco, durante vistoria corriqueira em uma operação tapa-buraco no centro da cidade.

Se o tempo economizado, de seis meses, fosse proporcional ao valor total da empreita, geraria uma economia em torno de R$ 6 milhões, o que já paga, por exemplo, quase dois meses de tapa-buraco nas ruas de Campo Grande. Claro que existem outras variáveis, mas a intenção do prefeito com sangue libanês continua a mesma: pechinchar.

O plano - Segundo ele, esse plano será apresentado ao Exército antes de fechar o contrato para o início das obras - o que deve ocorrer até 15 de fevereiro. Em relação à contrapartida do município, que ultrapassa R$ 4 milhões, Marquinhos andianta que busca-se financiamento. Os trabalhos serão executados pelo 3º Grupamento de Engenharia do CMO (Comando Militar do Oeste), sob a coordenação do 9º Batalhão de Engenharia de Cuiabá.

A ruas - As ruas que aguardam o recapeamento e drenagem, por meio do convênio assinado pelo ex-prefeito Alcides Bernal (PP), são trechos das avenidas Bandeirantes, Marechal Deodoro e das ruas Brilhantes e Guia Lopes – que formam o corredor sudoeste do transporte coletivo. A última previsão de início anunciada era novembro de 2016, após diversos adiamentos.

Nesta sexta-feira (27), os secretários Antônio Lacerda (Governo) e Rudi Fiorese (Obras) participaram de reunião na superintendência da Caixa Econômica Federal, com o o coronel Marcelo Guedon, para verificar a aprovação técnica do projeto, que está pendente para revisão da Caixa. NA ocasião, o militar estimou que no “pico” da execução do contrato, o Exército deve colocar 150 militares trabalhando nas ruas.


Pelo acordo, o município repassa os recursos para custear a troca da pavimentação, enquanto a mão de obra e equipamentos é oferecida pelo
s militares. Além disso, a compra do material também fica sob a responsabilidade do CMO (Comando Militar do Oeste).

Nos siga no Google Notícias