A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Setembro de 2017

01/09/2017 10:48

Prefeito vai vetar projeto sobre parada gay por trazer despesas ao município

Leonardo Rocha e Mayara Bueno
Prefeito Marquinhos Trad falou sobre o projeto, durante agenda pública (Foto: Mayara Bueno)Prefeito Marquinhos Trad falou sobre o projeto, durante agenda pública (Foto: Mayara Bueno)

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) adiantou que vai vetar o projeto que inclui a parada gay, no calendário oficial de evento da Capital. Ele justificou que nesta matéria aprovada na Câmara Municipal, fica ao poder municipal a responsabilidade de organizar o evento, o que traria despesas aos cofres públicos.

"Não tenho nada contra o evento, mas o projeto repassa toda a responsabilidade de realizar e organizar o evento para a prefeitura, o que não podemos concordar, até porque vai trazer despesas aos cofres públicos e neste momento não estamos promovendo eventos para nenhum segmento", disse Marquinhos.

O prefeito defende que as próprias entidades e associações do movimento LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais e Transgêneros) organizem o evento, restando ao município apoiar com a questão de logística, segurança e trânsito. "Se houver esta mudança no projeto, não terei nenhum problema em sancionar", garantiu.

Marquinhos diz já conversou com os vereadores e representantes das entidades LGBT sobre o tema, explicando a justificativa do seu veto. "Eles (representantes) também entendem que o evento deve ser organizado pelas entidades e não a prefeitura estar a frente da realização".

Ele ainda comparou que no caso da "Marcha para Jesus", que está incluído no Calendário Oficial da Capital, a lei municipal não repassa ao executivo, a responsabilidade de organizar. "Nós demos o apoio na parte de logística e trânsito, sem investir recursos públicos".

Polêmica - Quando os vereadores aprovaram este projeto, houve polêmica na sessão da Câmara Municipal, tanto que a votação foi apertada, por 13 votos a 12, para incluir a “Parada da Cidadania LGBT e Show da Diversidade”, no calendário oficial de Campo Grande. O voto de "minerva" foi de Cazuza (PP), que no dia 10 de agosto, estava presidindo a sessão.




Já divulgamos por meio de jornais e de mídia virtual a posição de que o poder público não dê dinheiro para grupos, como: Parada Gay, Carnaval, Festa de Santo e Marcha para Jesus, pois grupos devem se autossustentar e que os recursos públicos devem ser aplicados em questões de interesse geral, como: Saúde, educação, segurança etc.
Agora, também entendemos que nem a Marcha para Jesus, nem a Parada Gay devem constar no Calendário do Município, pois o poder público não deve ter vínculo com segmentos.
Sou coerente, pois alguns líderes religiosos falaram na inclusão dos 500 anos da Reforma Protestante no Calendário do Município, porém eu me opus, pois isso deve ser comemorado entre os domésticos, ou seja, às pessoas ligados à Reforma.
Grupos: Sem dinheiro e sem calendário!
Sou evangélico!
 
Trapp em 01/09/2017 21:32:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions