ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 

Política

Progressistas já aguardam ministra e secretário para virar 'partidão' em 2022

Acordos pré-eleitorais estão acontecendo com mais de 14 meses de antecedência do pleito

Por Gabriela Couto | 22/07/2021 12:12
Secretário de Estado do Meio Ambiente, Jaime Verruck e Ministra da Agricultura, Tereza Cristina deverão se filiar ao PP para disputar as eleições de 2022 (Foto Edemir Rodrigues)
Secretário de Estado do Meio Ambiente, Jaime Verruck e Ministra da Agricultura, Tereza Cristina deverão se filiar ao PP para disputar as eleições de 2022 (Foto Edemir Rodrigues)

Com a confirmação do presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, ocupando a Casa Civil no governo de Jair Bolsonaro (sem partido) a expectativa para a confirmação da vinda do presidente para a sigla só aumenta com o passar das horas.

Depois de uma negociação frustrada com o Patriota, que acabou em briga interna na nacional, Bolsonaro tem flertado com os Progressistas para poder disputar a reeleição em 2022. O reflexo disso em Mato Grosso do Sul é imenso.

Se isso se confirmar em Brasília (DF), a ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM), deve migrar para o PP na janela partidária prevista para abril do ano que vem. Junto com ela vai o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck. Sem partido, ele pode se filiar ao PP a qualquer momento.

A articulação já acontece pouco mais de 14 meses antes das eleições. O acordo é que o PP seja aliado do PSDB, na campanha o candidato do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que será o secretário de Estado de Infraestrutura Eduardo Riedel (PSDB).

Tereza será a candidata a senadora apoiada pelo governo estadual, no projeto de sucessão de poder. Com isso, Azambuja entrará na disputa para deputado federal. Hoje os tucanos já têm três representantes na Câmara dos Deputados: Rose Modesto, Beto Pereira e o licenciado ao cargo Geraldo Resende que é atual secretário de Estado de Saúde. Hoje a suplente Bia Cavassa ocupa o lugar. Vale lembrar que o futuro político partidário de Modesto segue incerto.

Verruck irá tentar uma das oito cadeiras da bancada federal na Câmara dos Deputados pelo Progressistas, porque a chapa dos tucanos estará muito disputada. Além dos dois novos nomes, devem iniciar a articulação para entrar na legenda de Bolsonaro os deputados estaduais que usam a bandeira do presidente.

O deputado Carlos Alberto David (sem partido) pode se filiar a qualquer momento à sigla. Ele já declarou inúmeras vezes publicamente que vai seguir o presidente politicamente assim que for definido seu partido.

Já o mais votado na última eleição, deputado Renan Contar (PSL), tinha apresentado resistência quanto a possibilidade de ir ao Patriota. Mas ainda terá tempo para pensar se irá ou para o PP em abril.

Hoje o PP é liderado no Estado pelo deputado Evander Vendramini e tem também o mandato do deputado Gerson Claro. O partido deverá ter o quarto maior repasse de verba pública do fundo eleitoral para disputar a campanha de 2022.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário