A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

03/07/2015 12:42

Projeto prevê cotas de 20% para negros em concurso da Assembleia

Leonardo Rocha
Projeto de Amarildo Cruz prevê 20% das vagas em concurso da Assembleia para negros e 3% aos indígenas (Foto: Roberto Higa/ALMS)Projeto de Amarildo Cruz prevê 20% das vagas em concurso da Assembleia para negros e 3% aos indígenas (Foto: Roberto Higa/ALMS)

O projeto do deputado Amarildo Cruz (PT) prevê cotas de 20% para negros e 3% a indígenas no primeiro concurso da Assembleia Legislativa, que deve ser efetivado no ano que vem, após a Casa de Leis conseguir abrir vagas suficientes para esta seleção.

O deputado explicou que esta medida deve constar no edital do concurso público quando for publicado, já que na sua concepção, se trata de uma ferramenta para ajudar a mudar a vida de centenas de pessoas, que poderão ingressar no serviço público estadual, dando “igualdade” de oportunidades a este público, que tem um passado histórico de desigualdade.

A Assembleia anunciou no ano passado a intenção de realizar o seu primeiro concurso público, para ter a sua disposição uma quadro de funcionários técnicos em diversos segmentos diferentes.

Para conseguir ampliar o número de vagas, o presidente da Casa de Leis, o deputado Junior Mochi (PMDB) colocou em prática, neste ano, o projeto para incentivar a aposentadoria voluntária que terá adesão de até 100 servidores.

Outras ações – O deputado Amarildo Cruz também apresentou antes um projeto para os concurso públicos estaduais, ampliando a vaga para negros de 10% para 20%. Este projeto segue em tramitação na Casa de Leis, para depois ser apreciado pelos deputados em plenário.

Para o petista, esta política de cotas deve ser usada a curto prazo, para que este público que foi discriminado e conviveu com a desigualdade possa ter acesso a estas vagas no serviço público. Ele acredita que no futuro quando houver outro cenário social no país, então não vai mais haver necessidade de adotar estas medidas.

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...


É triste q o direito a uma vaga num emprego público (que deveria ser resultado de mérito, esforço e capacidade pessoal) seja definida pela etnia do indivíduo. Significa então que todo negro é pobre, desfavorecido e coitado e que todo branco é rico e privilegiado?
Eu sou branca, mas nasci em família pobre, nunca estudei em colégio particular, nem tive condições de pagar cursinho.. tive exatamente as mesmas condições de estudo que qualquer pobre tem hoje, seja ele de qualquer etnia. Se já fui funcionária pública municipal, estadual e sou hoje federal foi porque corri atrás, estudei sozinha (graças a Deus inventaram a internet e o Youtube!).
Cotas raciais em concursos, a meu ver, são apenas uma forma de injustiçar os mais bem preparados.
 
Angela_Barbosa em 03/07/2015 17:38:38
Faço coro Guaraci: CADÊ O CONCURSO?!
 
JESSICA MACHADO GONÇALVES em 03/07/2015 15:22:23
Tudo muito bom, tudo muito bonito... mas e o concurso, quando sai??? Já faz mais de ano essa enrolação!
 
Guaraci Mendes em 03/07/2015 13:25:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions